Fundação GDA apoia formação de artistas no estrangeiro

O programa destina-se aos profissionais da dança, música e teatro que queiram aprofundar os seus conhecimentos fora do país. Esta iniciativa irá “complementar a atividade profissional dos artistas com ações que representam uma valorização e um desenvolvimento para as suas carreiras”, afirma Mário Carneiro, diretor-geral da Fundação GDA.

A Fundação GDA lançou um novo programa de apoio à formação e especialização internacional de artistas portugueses. O programa de capacitação profissional destina-se a músicos, atores e bailarinos que procuram aprofundar os seus conhecimentos teóricos e práticos no estrangeiro. O objetivo é projetar a carreira dos artistas intérpretes ou executantes e incentivar a sua formação ao longo da vida.

“Este programa é uma oportunidade para os artistas fazerem uma formação especializada fora do país. A posição periférica de Portugal e a situação precária dos nossos artistas têm dificultado o acesso a trabalhos em redes internacionais e à atualização de conhecimentos no estrangeiro”, afirma Mário Carneiro, diretor-geral da Fundação GDA. “É através do contacto com outras realidades que os artistas expandem os seus horizontes, desenvolvem conhecimentos e aperfeiçoam as suas técnicas de trabalho artístico e cultural, o que não só complementa a sua atividade profissional como também contribui para o desenvolvimento das artes e da cultura nacionais”.

O programa de Apoio à Formação e Especialização Internacional reforça a política levada a cabo pela Fundação GDA nos últimos anos de suporte à internacionalização dos artistas portugueses, juntando-se aos apoios à participação em festivais de showcases internacionais, à circulação de espetáculos e ao trabalho desenvolvido em torno dos fundos europeus, entre outras dinâmicas, iniciativas.

O novo programa destina-se a artistas intérpretes e executantes – com uma atividade profissional regular ou uma licenciatura na respetiva área artística – que tenham interesse em participar em workshops, masterclasses, cursos livres, ações de formação, conferências, encontros em redes internacionais ou residências artísticas no estrangeiro.

A Fundação GDA prevê, até ao final do ano, um financiamento global de 50 mil euros para cobrir despesas com a inscrição, a deslocação e a estadia das pessoas candidatas selecionadas. Prevê-se que no próximo ano o programa decorra logo a partir de janeiro.

Para além das ações presenciais no estrangeiro, poderão também ser apoiadas participações online. O programa conta com um júri externo de quatro especialistas nas áreas em causa, estando as candidaturas abertas em permanência. O programa encerra após ter-se esgotado o orçamento previsto. O regulamento pode ser consultado no site da Fundação GDA, e as candidaturas poderão ser apresentadas online, num formulário próprio no Portal do Artista.

Para mais informação consulte:

47 projetos apoiados pelo Concurso de Apoio a Espetáculos de Teatro e Dança da Fundação GDA

A edição de 2022 do Concurso de Apoio a Espetáculos de Teatro e Dança da Fundação GDA apoia um total de 47 espetáculos, envolvendo 172 artistas, com 300 mil euros.

Entre as 187 candidaturas submetidas, o júri independente selecionou para apoio um total de 47 projetos que, no seu conjunto, receberão apoios num total de 300 000 €.

Este ano o júri, convidado pela Fundação GDA para proceder à avaliação e seleção dos projetos, foi constituído por Conceição Mendes, Inês Nadais e Rui Pina Coelho.

Na seleção, o júri tomou em consideração todos os critérios constantes nos regulamentos, valorizando a qualidade, a pertinência e a consistência artística dos projetos e procurando o equilíbrio entre o incentivo a artistas emergentes e a criação de condições para a maturação de percursos já inscritos e reconhecidos no panorama nacional.

Da análise das candidaturas, o júri salientou a elevada qualificação da esmagadora maioria dos projetos e a inspiradora vitalidade que o tecido das artes performativas demonstra, apesar da severidade do impacto da pandemia e da sistémica precariedade do sector.

Uma análise dos números por área artística permite constatar que 27 apoios se destinaram a projetos de teatro, sete a projetos de dança e 13 a cruzamentos disciplinares.

A este programa da Fundação GDA podem candidatar-se tanto estruturas de produção artística como artistas intérpretes a título individual, enquanto participantes do projeto a concurso. Este ano os apoios foram distribuídos da seguinte forma: 24 para artistas individuais e 23 para estruturas coletivas.

Este concurso visa apoiar a produção e apresentação pública de projetos de teatro, dança e cruzamentos disciplinares, tendo em vista promover oportunidades de trabalho para atores e bailarinos, bem como dinamizar a oferta e a diversidade criativa nestas áreas.

O valor máximo de cada apoio atribuído ascende aos 7.500 € por projeto, devendo essa verba ser obrigatoriamente destinada à comparticipação nas despesas diretamente relacionadas com a participação dos artistas intérpretes. São consideradas despesas como os cachets dos artistas e custos com as suas deslocações, seguros, estadias e alimentação.

Lista de projetos apoiados

Candidatura n.º 6730 Cruzamentos Disciplinares Flávio Helder Rodrigues dos Santos

Candidatura n.º 6746 Teatro  As Crianças Loucas Associação

Candidatura n.º 6750 Dança PURGAc – Associação Cultural

Candidatura n.º 6758 Dança Paula Cristina Dos Santos Pinto

Candidatura n.º 6775 Dança Sara Pontes Caseira Bastos Silva

Candidatura n.º 6776 Teatro LIMITE ZERO ASSOCIAÇÃO CULTURAL

Candidatura n.º 6783 Teatro Teatro Bastardo

Candidatura n.º 6788 Cruzamentos Disciplinares Alquimia Nomada Lda

Candidatura n.º 6789 Dança Daniela Maria Magalhães Cruz

Candidatura n.º 6807 Cruzamentos Disciplinares Dally Velloso Lemos Schwarz

Candidatura n.º 6809 Teatro Pedro Miguel Simões Baptista

Candidatura n.º 6814 Teatro  Urso Pardo Associação Cultural

Candidatura n.º 6825 Teatro LoboMau – Produções

Candidatura n.º 6839 Teatro Maria Leonor Carvalhão Buescu de Vasconcelos e Sousa

Candidatura n.º 6844     Cruzamentos Disciplinares Carminda Rosa da Rocha Soares

Candidatura n.º 6869 Teatro Sofia Dinger Moreira Duarte

Candidatura n.º 6877 Teatro Filipe Manuel Antunes Moreira

Candidatura n.º 6879 Teatro Maria Gabriel Olas Leite da Fonseca

Candidatura n.º 6881 Cruzamentos Disciplinares Associação Cultural Arraial Cósmico

Candidatura n.º 6884 Cruzamentos Disciplinares TREMOR ASSOCIAÇÃO CULTURAL

Candidatura n.º 6889 Teatro Anna Figueirinhas Leppanen

Candidatura n.º 6897 Teatro Andreia Carreira da Cunha Farinha Malcon

Candidatura n.º 6915 Teatro Alexandre Miguel Jesus

Candidatura n.º 6917 Teatro Associação do Fim do Teatro

Candidatura n.º 7025 Teatro  Teatro da Cidade – Associação Cultural

Candidatura n.º 7109 Cruzamentos Disciplinares Mariana da Costa Viana Guarda

Candidatura n.º 7124 Cruzamentos Disciplinares Ana Catarina Vieira Caseiro

Candidatura n.º 7152 Teatro ASSOCIAÇÃO PONTO D’ORVALHO

Candidatura n.º 7161 Cruzamentos Disciplinares Miguel Duarte Ferreira Filipe

Candidatura n.º 7198 Dança Maria Helena Costa Antunes

Candidatura n.º 7221 Cruzamentos Disciplinares Giovanni César Bernardo Lourenço

Candidatura n.º 6827 Dança A Bela Associação

Candidatura n.º 6787 Cruzamentos Disciplinares Há Baixa

Candidatura n.º 7192 Dança Bernardo Filipe Damil de Chatillon

Candidatura n.º 6849 Teatro Companhia de Actores

Candidatura n.º 6867 Teatro Associação Cultural Rabbit Hole

Candidatura n.º 6893 Teatro Yael karavan

Candidatura n.º 7038 Teatro Ritual de Domingo Associação Artística

Candidatura n.º 6913 Teatro Musgo – Companhia de Teatro

Candidatura n.º 6911 Teatro Delicate Dinosaur

Candidatura n.º 7183 Cruzamentos Disciplinares Daniel Moutinho

Candidatura n.º 6823 Cruzamentos Disciplinares Mélanie Gonçalves Ferreira

Candidatura n.º 7027 Teatro Lotação Variável – Associação

Candidatura n.º 6770 Teatro Hipérion Projeto Teatral

Candidatura n.º 6928 Teatro André Simões de Almeida Rodrigues Murraças

Candidatura n.º 7049 Teatro Malvada Associação Artística

Candidatura n.º 6846 Teatro TRIBOBASTIDOR – ASSOCIAÇÃO CULTURAL E RECREATIVA

 

Suplentes

Candidatura n.º 6782 Teatro Panorama Periférico – Associação Cultural

Candidatura n.º 6868 Dança Bruna Soraia Miguel de Carvalho

Candidatura n.º 6804 Teatro Sui Generis Associação Cultural

Candidatura n.º 6808 Dança Patacodisseia

Candidatura n.º 6837 Cruzamentos Disciplinares Sara Beatriz Seixo Garrucho

Já abriram as candidaturas ao Programa de Apoio a Showcases Internacionais 2022

Estão abertas, a partir de 21 de janeiro, as candidaturas ao Programa de Apoio a Showcases Internacionais da Fundação GDA. Trata-se de uma iniciativa através da qual a Fundação GDA pretende contribuir para potenciar a internacionalização da Música Portuguesa.

Este programa visa apoiar a apresentação dos artistas portugueses no circuito de Festivais de Showcase Internacionais, através da atribuição de apoios de comparticipação nas despesas relacionadas com deslocações, estadias, alimentação, ou apresentação por via digital dos Artistas/Músicos convidados para esses eventos internacionais.

Os músicos que pretendam concorrer a este apoio podem fazê-lo a partir de 21 de janeiro, submetendo a sua candidatura através do formulário disponível no Portal do Artista. O programa encerrará assim que o respetivo orçamento se encontre totalmente realizado.

Para este programa a Fundação GDA disponibiliza para o ano de 2022 um montante de € 60.000. Em apresentações de natureza presencial, o montante máximo a atribuir por projeto é de € 4.000 e o mínimo de € 500. No caso de apresentações por via digital, o montante a atribuir por cada projeto, varia entre os € 750 e os € 2.500.

Para mais informações, consultar o Aviso de Abertura, o Regulamento do Programa de Apoio a Showcases Internacionais e a respetiva lista de referência de festivais.

Campanha MODE’21 decorre até 31 de janeiro de 2022

A Fundação GDA acaba de lançar a campanha MODE’21. Músicos intérpretes e executantes que tenham participado na edição de discos em 2021 poderão concorrer, declarando o seu repertório até ao dia 31 de janeiro do próximo ano.

A Campanha MODE’21 – através da qual a Fundação GDA apoia a participação de artistas intérpretes e executantes em primeiras edições comerciais de obras discográficas, produzidas em Portugal, durante o ano de 2021 – já começou.

A entrega física dos álbuns pode ser efetuadas até 15 de janeiro nas instalações da Fundação GDA, ao passo que as declarações de repertório pelos artistas poderão ser feitas até 31 de janeiro de 2022.

O MODE (Música em Obras Discográficas Editadas) pretende valorizar o repertório musical de edição recente e, ao mesmo tempo, incentivar a declaração de repertório por parte dos intérpretes e executantes que participam na gravação de álbuns, seja em CD, DVD ou noutros suportes físicos. Recorde-se que, para que os direitos relativos a uma determinada obra possam ser atribuídos ao seu titular, é necessário que este declare a sua participação nessa mesma obra.

“Serão essas declarações de repertório que irão alimentar os sistemas de monitorização da GDA, os quais permitirão aos artistas receber os direitos de utilização das suas obras no espaço público da forma mais proporcional e justa possível”, esclarece Luís Sampaio, vice-presidente da GDA.

Para efeitos de participação no MODE, os artistas devem fazer chegar os discos às instalações da Fundação GDA, até 15 de janeiro de 2022, e carregar as suas declarações de repertório no Portal GDA até ao dia 31 do mesmo mês.

A Campanha MODE’21 destina- se a músicos – intérpretes ou executantes – que já sejam cooperadores da GDA, ou que venham a sê-lo até à data de conclusão das campanhas.

Para mais informações consulte o Regulamento do Programa MODE´21: AQUI  ou contacte o seu gestor de repertório gestores de repertório no Porto ou em Lisboa.

Festival MIL regressa a Lisboa com descontos para Cooperadores da GDA

O Festival MIL regressa a Lisboa, decorrendo entre os dias 15 e 17 no Hub Criativo do Beato. Os cooperadores da GDA beneficiam de um desconto de 25% na aquisição dos bilhetes que incluem acesso aos programas profissionais e artísticos.

O MIL regressa, ao vivo, à capital portuguesa com 50 concertos e cerca de 30 debates, keynotes, masterclasses e workshops – um programa que decorre em cinco palcos do Hub Criativo do Beato.

O evento surgiu em 2017 e assume-se como um festival e, simultaneamente, como uma convenção internacional de música que tem por missão a valorização e a divulgação da música popular moderna de origem lusófona, tendo em vista a sua internacionalização.

Ao apresentar-se como um ponto de encontro entre agentes das indústrias de música de todo o mundo, o MIL alinha-se com a política da Fundação GDA no domínio da internacionalização dos artistas nacionais, pelo que a Fundação tem apoiado esta iniciativa.

Além do programa artístico, o MIL aposta numa vertente de convenção, dirigida a profissionais das indústrias da música e do setor cultural e composta por masterclasses, keynotes, debates e workshops.

Através do apoio prestado pela Fundação GDA, a organização do MIL atribui aos artistas cooperadores da GDA um desconto de 25% sobre o preço dos bilhetes profissionais, que é de € 74,90. Esse bilhete dá acesso à área profissional do evento, ao programa artístico e à presença na base de dados partilhada de delegados.

Os artistas cooperadores da GDA com interesse em usufruir do desconto de 25% sobre o preço dos bilhetes PRO deverão entrar em contacto com a Fundação GDA, até dia 15, através do email comunicacao@fundacaogda.pt, mencionando o nome completo e o respetivo número de cooperador.

Os horários e o programa podem ser consultados AQUI

Fundação GDA apoia 57 projetos através do Programa de Apoio à Edição Fonográfica de Intérprete

A Fundação GDA atribuiu um montante global de 264.494,64 € no âmbito do Programa de Apoio à Edição Fonográfica 2021. De entre um total de 650 candidaturas submetidas a este concurso, foram selecionados 57 projetos.

Na edição de 2021 do Programa Apoio à Edição Fonográfica de Intérprete, a Fundação GDA recebeu um surpreendente total de 650 candidaturas, das quais 646 foram admitidas e avaliadas por um júri independente, composto por Carlos Azevedo, Duarte Pinto Coelho e Rui Miguel Abreu. Entre os 57 projetos discográficos selecionados, foi distribuído um montante total de 264.494,64 €.

Apesar de manter a sua dotação orçamental, este concurso teve apenas uma fase de candidaturas, ao contrário dos anos anteriores. Esta é uma das medidas implementadas pela Fundação GDA no início do ano, decorrente do impacto da crise pandémica na atividade da instituição.  

O Programa Apoio à Edição Fonográfica de Intérprete, um dos três concursos de apoio à criação artística da Fundação, pretende dinamizar o mercado editorial da música portuguesa, a diversidade das expressões musicais e o acesso e usufruto dos cidadãos à criatividade musical, apoiando a gravação e produção de novas obras fonográficas.

De entre os 57 projetos apoiados, 17 são de jazz, 9 de música clássica, 6 de pop-rock, 4 de música eletrónica, 4 de música tradicional/popular, 2 de soul/funk, 2 de world music e 1 de música ambiental. Os restantes 12 pertencem a outros géneros musicais.

 


 

Projetos selecionados para apoio:

Candidatura nº 5532 – Nuno Mendes Moreira Aroso – € 5.491

Candidatura nº 5557 – António Serra – € 3.500

Candidatura nº 5582 – Margarida Campelo Fernandes Mendes Barata – € 5.500

Candidatura nº 5585 – João Manuel Elviro Mestre – € 2.500

Candidatura nº 5596 – Romeu Moiteiro Tristão – € 3.500

Candidatura nº 5603 – Henrique Leitão Silva – € 5.500

Candidatura nº 5616 – Sérgio Leonel Alves da Silva – € 5.500

Candidatura nº 5622 – Sofia Mendes Marques – € 3.500

Candidatura nº 5648 – Filipe André da Silva Raposo – € 3.500

Candidatura nº 5679 – André Tiago Rodrigues Xisto Rosinha – € 3.500

Candidatura nº 5746 – Miguel Branco Jaques – € 5.500

Candidatura nº 5806 – André Sousa Machado Coelho da Silva – € 5.500

Candidatura nº 5849 – Pedro Ribeiro – € 5.500

Candidatura nº 5871 – Mário Jorge Enes da Costa – € 5.500

Candidatura nº 5880 – Francisca Brandão Ribeiro – € 5.500

Candidatura nº 5900 – Tomás de Freitas Franco de Sousa – €5.500

Candidatura nº 5909 – João Gomes Martins – € 5.500

Candidatura nº 5915 – Bernardo Quinta Tinoco – € 3.500

Candidatura nº 5916 – Ricardo João Domingues Pires – € 3.500

Candidatura nº 5917 – Carlos Alberto de Almeida Morgado – € 5.500

Candidatura nº 5934 – Pedro Sousa Silva – € 5.500

Candidatura nº 5936 – Diogo Filipe Quintino Alexandre – € 5.500

Candidatura nº 5939 – Rui Martins – € 5.500

Candidatura nº 5944 – João Pedro Lima Brandão Costa – € 5.500

Candidatura nº 5983 – Luis Miguel Coelho Lopes – € 3.500

Candidatura nº 5984 – João Carlos Leitão Parreira – € 5.500

Candidatura nº 6033 – Nuno Fernandes Pinto – € 5.500

Candidatura nº 6061 – Lília Sofia Moreira de Matos Esteves – € 5.500

Candidatura nº 6073 – Pedro Duarte Lima Carvalho Garcia Carneiro – € 3.500

Candidatura nº 6085 – Luis Miguel Lopes Barrigas – € 2.450

Candidatura nº 6088 – Rodrigo Casula Gomes Brandão – € 5.500

Candidatura nº 6094 – Júlia Monteiro Quintino dos Reis Marques – € 2.000

Candidatura nº 6099 – Sara Correia Serpa dos Santos – € 5.500

Candidatura nº 6117 – Hugo Miguel dos Santos Oliveira – € 5.500

Candidatura nº 6118 – Luis Eugenio Fortes Gomes – € 5.500

Candidatura nº 6133 – João Rodrigues Lemos Carvalho Rocha – € 5.500

Candidatura nº 6140 – Rui Jorge Martins Rodrigues – € 3.500

Candidatura nº 6149 – Nelson Gomes – € 3.144

Candidatura nº 6161 – Gonçalo Rodrigues Silvério Marques – € 5.500

Candidatura nº 6163 – Rafael Alexandre Toral Moussé Braz – € 2.285

Candidatura nº 6170 – Pedro Filipe da Silveira Lucas – € 5.500

Candidatura nº 6179 – João Miguel Cordeiro Barradas – € 5.500

Candidatura nº 6180 – Guilherme Azevedo Miranda Tomé Ribeiro – € 5.500

Candidatura nº 6246 – João Manuel Uva Jacinto Oliveira e Sousa – € 4.500

Candidatura nº 6249 – Manuel António de Jesus Morais – € 5.500

Candidatura nº 6321 – Luís Cabral Ogando – € 5.500

Candidatura nº 6329 – Guilherme Pereira Salgueiro – € 5.500

Candidatura nº 6349 – Rita Gonçalves Vian Costa – € 3.500

Candidatura nº 6359 – Katharine Rawdon – € 5.174,64

Candidatura nº 6371 – Inês de Almeida Matos – € 3.500

Candidatura nº 6433 – Adriano Augusto Martins da Rocha Oliveira Aguiar – € 3.500

Candidatura nº 6441 – João Carlos Piçarra Frade – € 5.500

Candidatura nº 6468 – Marcus Roberto de Lacerda Veiga – € 4.950

Candidatura nº 6489 – Pedro Miguel Gomes Carneiro – € 3.500

Candidatura nº 6497 – José Guilherme Morato Pinto dos Santos – € 3.500

Candidatura nº 6500 – Martim de Sá Brito Henriques – € 5.500

Candidatura nº 6502 – Fernando Manuel Pereira Ramos – € 3.500

 


 

Projetos suplentes:

Candidatura nº 5846 – Pedro Guedes de Andrade Puppe dos Santos – € 5.550

Candidatura nº 5970 – David Samuel Machado Pires – € 5.500

Candidatura nº 5989 – Mário João da Silva Alves – € 5.500

Candidatura nº 6517 – Filipe Louro Bessa Monteiro – € 3.500

Candidatura nº 6208 – Duarte Machado Rebelo Fernandes Cabaça – €3.350

 


 

 

36 projetos apoiados pelo Concurso de Apoio a Espetáculos de Teatro e Dança 2021 da Fundação GDA

A Fundação GDA apoia, este ano, 36 projetos, envolvendo um total de 133 artistas, com 250 mil euros no âmbito do seu Concurso de Apoio a Espetáculos de Teatro e Dança.

Entre as 227 candidaturas submetidas à edição deste ano do Concurso de Apoio a Espetáculos de Teatro e Dança, o júri independente selecionou 36 projetos que, no seu conjunto, receberão apoios num total de 250 000 €.

Este ano o júri, convidado pela Fundação GDA para proceder à avaliação e seleção dos projetos, foi constituído por Cláudia Galhós, Inês Nadais e Vera Borges.

Nesse processo, o júri tomou em consideração todos os critérios constantes do Regulamento do Programa de Apoio a Espetáculos de Teatro e Dança, valorizando projetos emergentes e vozes singulares bem como o impacto deste apoio na viabilização financeira dos projetos.

Tendo em conta o espírito deste Programa, tal como consta no regulamento específico, e tendo sido constatada a alta qualidade e relevância artística da maioria dos projetos apresentados, o júri congratula aqueles mais viabilizados financeira e/ou institucionalmente, considerando-os menos prioritários pelo facto de o apoio da Fundação GDA não ser imprescindível para a sua concretização. Para além dos critérios já expostos, o júri procurou o equilíbrio possível entre temáticas, áreas artísticas, diversidade das abordagens e universos artísticos.

Uma análise dos números por área artística permite constatar que 15 apoios se destinaram a projetos de teatro, seis a projetos de dança e 16 a cruzamentos disciplinares.

Quanto à distribuição territorial, 23 dos projetos apoiados são originários da região de Lisboa e Vale do Tejo, nove da região Norte, três do Centro e um do Alentejo.

Este programa da Fundação GDA, ao qual podem candidatar-se tanto estruturas de produção artística como artistas intérpretes a título individual, visa apoiar a produção e apresentação pública de projetos de teatro, dança e cruzamentos disciplinares, tendo em vista promover oportunidades de trabalho para atores e bailarinos, bem como dinamizar a oferta e a diversidade criativa nestas áreas.

O valor máximo de cada apoio atribuído na edição de 2021, ascende a 7.500 € por projeto, devendo essa verba ser obrigatoriamente destinada a despesas diretamente relacionadas com prestação do trabalho dos artistas intérpretes tal como cachets, deslocações, seguros, estadias e alimentação, entre outras.

Entre os projetos artísticos que não acederam aos apoios (191 candidaturas) uma parte muito significativa possui méritos e qualidades evidentes que os habilitariam para tal, caso os meios à disposição fossem superiores aqueles que efetivamente estão ao alcance da Fundação GDA.


Projetos apoiados

Candidatura n.º 5269 – Cruzamentos Disciplinares – Marta Garcia Cerqueira

Candidatura n.º 5337 – Cruzamentos Disciplinares ­– Sofia De Melo Gago Resende da Vitória

Candidatura n.º 5365 – Cruzamentos Disciplinares – Marina Rei

Candidatura n.º 5377 – Cruzamentos Disciplinares – Joana Maria Carneiro Gama

Candidatura n.º 5392 – Cruzamentos Disciplinares ­– Isabel Rodrigues Costa

Candidatura n.º 5428 – Cruzamentos Disciplinares – Andresa Sofia Pestana Soares

Candidatura n.º 5438 – Cruzamentos Disciplinares – Carlota Lagido

Candidatura n.º 5460 – Cruzamentos Disciplinares – Ana Luisa Gouveia Caldeira

Candidatura n.º 5515 – Cruzamentos Disciplinares – Mariana de Sousa Magalhães

Candidatura n.º 5517 – Cruzamentos Disciplinares – Rita Silva Couto

Candidatura n.º 5558 – Cruzamentos Disciplinares – Ermo do Caos; Núcleo Artístico Independente

Candidatura n.º 5639 – Cruzamentos Disciplinares – João Pedro Lourenço dos Reis Moreira

Candidatura n.º 5701 – Cruzamentos Disciplinares – Grupo de Teatro Murmuriu

Candidatura n.º 5719 – Cruzamentos Disciplinares – Elizabete Francisca Gonçalves Santos

Candidatura n.º 5775 – Cruzamentos Disciplinares – Telma João da Fonseca Santos

Candidatura n.º 5802 – Cruzamentos Disciplinares – Romain Beltrão Teule

Candidatura n.º 5335 – Dança – Bruno Vittorio Brandolino Ferreira Ramos

Candidatura n.º 5405 – Dança – Beatriz de Oliveira Sequeira Cantinho

Candidatura n.º 5499 – Dança – Associação Cultural INTRUSO

Candidatura n.º 5519 – Dança – Maria Teresa Fabião da Silva Pinto

Candidatura n.º 5724 – Dança – António Fernando da Costa Torres

Candidatura n.º 5266 – Teatro – Além Mundus – Associação Cultural

Candidatura n.º 5293 – Teatro – Grua Crua Associação Cultural

Candidatura n.º 5296 – Teatro – Sofia Cristina Cabrita de Oliveira

Candidatura n.º 5343 – Teatro – Associação Esquema Irreal

Candidatura n.º 5344 – Teatro – Mochos No Telhado, Associação Cultural

Candidatura n.º 5336 – Teatro – Heitor Miguel Gomes Lourenço

Candidatura n.º 5399 – Teatro – Roxana Mihaela Lugojan

Candidatura n.º 5400 – Teatro – Associação Cultural Zona Não Vigiada

Candidatura n.º 5432 – Teatro – Hugo Tourita

Candidatura n.º 5454 – Teatro – Lígia Maria Soares

Candidatura n.º 5459 – Teatro – Daniel César Ribeiro Gonçalves

Candidatura n.º 5588 – Teatro – Diego Braga Portugal

Candidatura n.º 5684 – Teatro – Admirável Reino – Associação

Candidatura n.º 5710 – Teatro – Rui Armando Catalão Jorge

Candidatura n.º 5732 – Teatro – Plataforma UMA, CRL


Suplentes

Candidatura n.º 5345 – Teatro ­– Inês Luísa Abrunhosa Leite Baptista Arinto

Candidatura n.º 5723 – Teatro – Gustavo Tunes de Carvalho Salvador Rebelo

Candidatura n.º 5376 – Dança – Associação Cultural Carta Branca

Candidatura n.º 5358 – Teatro – Rui Miguel Rodrigues Silva

Candidatura n.º 5285 – Teatro –  Eduardo Lopes Dias


 

GDA e Fundação lançam livro sobre o papel do artista e a Cultura no mercado digital

Os 25 anos da GDA e os 10 anos da sua Fundação são celebrados com a publicação do livro Colher para Semear, que mais do que traçar o percurso das duas entidades no tecido cultural português, exige respeito pelo trabalho dos artistas, documentando que esse trabalho gera riqueza, uma parte da qual é reinvestida na própria Cultura. “Hoje a grande batalha é salvaguardar os direitos dos artistas no mercado digital: o modelo de negócio atual é insustentável, tem de incluir um pagamento justo aos artistas”, afirma Pedro Wallenstein, presidente da GDA.

Colher para Semear – 25 anos de GDA  –  10 anos de Fundação GDA, o mais recente livro da jornalista, escritora e ensaísta Claudia Galhós, vai muito além de uma análise de percurso, de um olhar sobre o património (intelectual, económico, social e simbólico) ou da aferição do impacto da ação das duas organizações no tecido criativo nacional.

Ao colocar o eixo central da narrativa no papel dos artistas intérpretes e executantes, a obra publicada pela Fundação GDA, presta-lhes uma homenagem, reivindicando respeito pelo seu trabalho e pela sua identidade enquanto pessoas humanas.

O livro traz uma reflexão premente acerca do papel do artista na sociedade, numa altura em que a experiência pandémica, que se arrasta há mais de um ano, obrigou a confinamentos. Confinada em casa, uma grande parte da população encontrou no trabalho desenvolvido por artistas um escape usufruindo, através da transmissão online ou das plataformas digitais, de música, teatro, dança e filmes.

Ao enquadrar o contexto deste novo paradigma do acesso aos bens culturais imateriais, que se desenvolve desde o final do século passado e explodiu com a crise pandémica, Colher para Semear apela à ação.

Debate em torno do digital passa pela GDA e a sua Fundação

“É urgente olhar para essa realidade, que faz também parte da agenda política europeia com o investimento na transição digital e salvaguardar o valor simbólico e remuneratório dos artistas, intérpretes e executantes, cujo trabalho é indispensável para usufruirmos de obras culturais”, comenta a autora.

Esse debate passa, de forma determinante, pela atuação da GDA e da sua Fundação, enquanto organismos empenhados na defesa dos direitos conexos dos artistas e na melhoria das suas condições de vida e trabalho.

“É preciso acabar com a situação atual”, afirma Pedro Wallenstein, presidente da GDA. “As grandes plataformas digitais e as grandes produtoras e editoras pactuaram um modelo de negócio em que ganham milhões de euros e deixam de lado a esmagadora maioria dos artistas intérpretes e executantes que participam nas obras disponibilizadas”, salienta.

Nova batalha: salvaguardar direitos dos artistas no streaming

“A nossa principal exigência é que a transposição para a legislação nacional da Diretiva sobre o mercado único digital seja fiel ao espírito dos eurodeputados e da Comissão Europeia, garantido aos artistas o pagamento pela utilização das suas obras nas grandes plataformas como o Youtube, o Facebook, a Spotify, a Google ou a iTunes”, conclui.

A salvaguarda dos direitos dos artistas intérpretes e executantes no mercado digital é mais uma batalha para levar a cabo pela GDA, que em 25 anos de existência e uma prática de cobrança e distribuição dos direitos de propriedade intelectual, conta na sua história com uma série de lutas em prol do respeito pelo trabalho desses profissionais: uma remuneração justa pela reprodução pública de obras protegidas em que esses artistas participaram. O meio digital não é diferente.

Vocacionada para a cobrança, gestão e distribuição de direitos de propriedade intelectual pelos respetivos titulares, a GDA conta, há uma década, com a Fundação GDA que a assiste nas suas obrigações legais (e morais) de apoio social e cultural.

“Ao longo destes 10 anos a Fundação GDA, afirmou-se de forma muito clara como um parceiro dos artistas, revelando-se uma entidade indispensável para a viabilização de projetos nas áreas da dança, música, teatro e cinema, prestando, ao mesmo tempo, apoio social aos artistas cooperadores da GDA e contribuindo para a sua formação”, destaca Claudia Galhós.

Cultura subsídio-dependente é um mito

Por seu turno, Pedro Wallenstein diz que “a ação conjunta da GDA e da Fundação GDA deita por terra o mito da cultura subsídio-dependente. Essa ação prova que a Cultura pode gerar riqueza e que essa riqueza pode ser reinvestida no tecido criativo”.

“A GDA cobra direitos que resultam do trabalho dos artistas, uma parte desse dinheiro é, depois, reinvestida no setor cultural através da Fundação”, explica.

A legislação em vigor obriga as sociedades de gestão coletiva de direitos a canalizarem pelo menos 5% das suas cobranças para um fundo social e cultural. No caso da GDA, os artistas cooperadores decidiram, numa assembleia-geral realizada em 2012, canalizar 15% das cobranças de direitos para esse fundo, que é gerido pela Fundação GDA.

“Um gesto generoso de quem entende que não basta fazer os mínimos para que o investimento nos artistas seja significativo e não apenas simbólico”, conclui Claudia Galhós.

Colher para Semear será apresentado no dia 24 de maio, segunda-feira, no Teatro Nacional D. Maria II às 18h30. A sessão contará com a participação de Pedro Wallenstein (presidente da GDA e músico), Tiago Rodrigues (diretor do Teatro Nacional D. Maria II, encenador e ator), Álvaro Laborinho Lúcio (juiz Conselheiro e escritor), Diana Niepce (criadora, bailarina e escritora), João Cachola (ator, escritor e criador) e Claudia Galhós (autora do livro).

Concurso de Apoio a Curtas-Metragens já abriu

As candidaturas ao concurso de Apoio aos Artistas Intérpretes em Curtas-metragens abriram, esta segunda-feira, 26 de abril, e podem ser submetidas aé ao dia 21 de maio. O montante total de apoios a distribuir este ano é de €150.000, sendo o valor máximo a atribuir a cada candidatura vencedora de €7.500.

A Fundação GDA apoia, através deste concurso, a produção de curtas-metragens portuguesas, devendo o apoio atribuído no âmbito deste programa, destinar-se exclusivamente à contratação dos artistas interpretes profissionais, tendo em vista promover e profissionalizar o trabalho realizado pelos mesmos nestas obras, favorecendo a divulgação e desenvolvimento da sua carreira profissional e artística.

O apoio financeiro é atribuído a título de comparticipação nas despesas ou encargos diretamente relacionados com os artistas intérpretes (atores, bailarinos e músicos) que participam no filme, nomeadamente cachets, deslocações, estadias e alimentação.

As candidaturas a este concurso são feitas exclusivamente online, através do preenchimento e submissão do formulário próprio disponibilizado no Portal do Artista, plataforma onde cada candidato deverá ter o seu registo feito.

Para mais informações, consulte o Aviso de Abertura deste concurso, o Regulamento Geral dos apoios da Fundação GDA 2021 e o Regulamento Específico deste concurso.