Candidaturas ao Apoio a Curtas-Metragens decorrem até 18 de maio

Este concurso apoia a produção de curtas-metragens de ficção nacionais, tendo em vista a promoção e profissionalização do trabalho realizado pelos artistas intérpretes nestas obras, favorecendo a divulgação e desenvolvimento das suas carreiras profissionais e artísticas.

O objetivo deste apoio financeiro está relacionado com a comparticipação nas despesas ou encargos dos projetos dos artistas intérpretes ou executantes, nomeadamente com cachets, viagens, estadias, alimentação ou transportes.

Os candidatos apoiados terão um prazo máximo de 12 meses para finalizarem as suas curtas-metragens, estando obrigados a exibir publicamente as obras apoiadas no prazo máximo de 18 meses a contar da data da assinatura do contrato.

Este ano, o montante total disponível para o programa será de €100.000, mais € 40.000 que no ano passado. Isso permitirá aumentar o número de projetos apoiados para 20 (em 2017, foram 12), tendo em conta que essa dotação orçamental será dividida por apoios individuais até um máximo de €5.000 (cinco mil euros).

Para mais informações consulte o Aviso de Abertura e o Regulamento do concurso.

 

© Imagem: Trabalhos de rodagem de Pródigo, projeto apoiado pela Fundação GDA no âmbito do concurso de apoio a Curtas Metragens de 2016

 

Candidaturas aos apoios para curtas-metragens abrem a 23 de abril

As candidaturas para o programa de Apoio a Curtas-Metragens decorrem entre 23 de abril e 18 de maio, estando já o respetivo regulamento e aviso de abertura disponíveis para consulta neste site.

Este concurso visa apoiar a produção de curtas-metragens de ficção nacionais, tendo em vista a promoção e profissionalização do trabalho realizado pelos artistas intérpretes nestas obras, favorecendo a divulgação e desenvolvimento das suas carreiras profissionais e artísticas.

O objetivo deste apoio financeiro está relacionado com a comparticipação nas despesas ou encargos dos projetos dos artistas intérpretes ou executantes, nomeadamente com cachets, viagens, estadias, alimentação ou transportes.

O montante total disponível para o programa será, em 2018, de €100.000, mais € 40.000 que no ano passado. Isso aumentar o número de projetos apoiados para 20 (em 2017, foram 12), tendo em conta que essa dotação orçamental será dividida por apoios individuais até um máximo de €5.000 (cinco mil euros).

Os candidatos apoiados terão um prazo máximo de 12 meses para finalizarem as suas curtas-metragens, estando obrigados a exibir publicamente as obras apoiadas no prazo máximo de 18 meses a contar da data da assinatura do contrato.

O formulário de candidatura e as respetivas instruções de preenchimento estarão disponíveis a partir de 23 de abril.

 

© Imagem: Rodagem da curta-metragem Terra Amarela (B'lizzard), projeto apoiado no âmbito do concurso de Apoio a Curtas-metragens em 2016.

Resultados do concurso de Apoio a Curtas-metragens 2017

A Fundação GDA tem o prazer de anunciar os resultados do concurso de Apoio a Curtas-metragens 2017.

Através deste programa, a Fundação GDA apoia a produção de curtas-metragens de ficção nacionais, tendo em vista promover e profissionalizar o trabalho realizado pelos artistas intérpretes nestas obras. Em 2017, a Fundação GDA teve 40 candidaturas admitidas a concurso, apoiando 12 curtas-metragens.

Para a apreciação das candidaturas foi constituído um júri externo composto por Luísa Sequeira, Miguel Ramos e Miguel Valverde.

[expand title=”Projetos Apoiados” swaptitle=”Fechar “]

  • Candidatura n.º 537: Miguel Nunes – “Anjo;
  • Candidatura n.º 541: Desafio dos Piratas – “A Era das Ovelhas, Anexo 82;
  • Candidatura n.º 585: Mariana Caló e Francisco Queimadela – “A Dança do Cipreste;
  • Candidatura n.º 599: C.R.I.M. – “Aquaparque;
  • Candidatura n.º 607: Tânia Sofia Alves Dinis – “Armindo e a Câmara Escura;
  • Candidatura n.º 612: Ana Lúcia Pires Diz – “David enfrenta o Javali;
  • Candidatura n.º 614: VIDEOLOTION – “A Raiva e o Rio;
  • Candidatura n.º 616: Joana Patrícia Ferreira Peralta Guiomar – “Cura #1”;
  • Candidatura n.º 625: Maria Inês dos Reis Gonçalves – “A Barriga de Mariana”;
  • Candidatura n.º 627: Paulo Jorge Dias Castilho Machado – “O Pastor Negro;
  • Candidatura n.º 628: BlackMaria – “Self Destructive Boys”;
  • Candidatura n.º 636: Helena Estrela Batista Vasconcelos Barbosa – “Bela Mandil”.

Das curtas-metragens apoiadas, 42% são provenientes da Zona Norte (Porto), 8% da Zona Centro (Benavente), 8% da Grande Lisboa (Setúbal) e 42% de Lisboa. [/expand]

© Imagem do projeto “Merci”, de Sara Vaz, apoiada no âmbito do concurso de Apoio a Curtas-metragens 2016.

Formação Internacional

Programa de apoio à participação em ações de formação e capacitação de âmbito internacional, as quais possam contribuir para a aquisição e consolidação de conhecimentos e para a progressão das competências técnicas e artísticas nas respetivas áreas profissionais.