Festival MIL regressa a Lisboa com descontos para cooperadores da GDA

O MIL – Lisbon Internacional Music Network regressa a Lisboa, para uma nova edição. O evento que se assume como o principal festival e convenção profissional da música popular moderna de origem lusófona decorre já nos dias 27, 28 e 29 de março no Cais do Sodré em Lisboa. Os cooperadores da GDA beneficiam de um desconto de 25% na aquisição dos bilhetes que incluem acesso aos eventos profissionais.

O MIL – Lisbon Internacional Music Network está de volta, para mais uma edição. Tido como o melhor festival para criar redes de contactos no seio da indústria musical lusófona vai decorrer entre 27 e 29 de março, no Cais do Sodré, em Lisboa.

Através dos acordos que a Fundação GDA estabeleceu com a organização deste festival dirigido a profissionais da música, os artistas cooperadores da GDA têm a possibilidade de usufruir de um desconto de 25% sobre o preço do PRO Ticket, bilhete que dá acesso às conferências profissionais, que é de € 74,20.

O MIL é um festival e convenção internacional para profissionais mantendo o seu foco na música popular lusófona, assumindo-se como umponto de encontro entre agentes das indústrias músicas de todo o mundo, potenciando assim o mais fácil contacto internacional e facilitando a abertura de portas a novos mercados.

Desta vez será novamente constituído por dois tipos de programa: as convenções reservadas a profissionais (cujos oradores já se encontram em cartaz) e pelo festival musical, que é aberto ao grande público e com variados nomes já confirmados. Clique aqui para mais informação sobre o festival.

Os artistas cooperadores da GDA com interesse em usufruir deste desconto deverão entrar em contacto com a Fundação GDA, através do email comunicacao@fundacogda.pt, mencionando o nome completo e o respetivo número de cooperador.

Workshop de preparação para showcases com Miriam Brenner

Nos últimos dois anos, verificou-se uma constante evolução da internacionalização da música portuguesa. Como tal, a WHY PORTUGAL, com o apoio da Fundação GDA, promove mais uma iniciativa que visa a capacitação do setor, apoiando os artistas e profissionais na sua preparação para as missões internacionais que possam ter planeadas para 2019. A sessão tem […]

Nos últimos dois anos, verificou-se uma constante evolução da internacionalização da música portuguesa. Como tal, a WHY PORTUGAL, com o apoio da Fundação GDA, promove mais uma iniciativa que visa a capacitação do setor, apoiando os artistas e profissionais na sua preparação para as missões internacionais que possam ter planeadas para 2019.

A sessão tem data marcada para 19 de fevereiro, às 18h00, no Palácio Baldaya, em Lisboacom a participação especial da convidada Miriam Brenner, diretora artística independente, manager e agente.

Miriam Brenner foi programadora do festival holandês Music Meeting e do Festival Mundial. A sua contribuição foi para além da programação e colaborou também com equipas de marketing. Enquanto programadora de sala, colaborou com a RASA e em 2012 fundou a sua própria agência, a Kokako Music, para o desenvolvimento de talentos, organizando toursmundiais dos mais diversos géneros. A sua formação de base é em etnomusicologia e é esta temática que a levou a participar em diversas conferências e a fazer parte do quadro de mentores da Music Estónia. Além disso, foi co-fundadora de um programa de mentoringdedicado às mulheres, “Been There Dorne That”. Ainda na linha da frente, fez parte do grupo que fundou o Global Club Music Network.
Atualmente, é diretora da ONG World Music Utrecht, instituição que assume a missão de estimular a inclusão da música na cidade.

Este workshoptem como objetivo partilhar com os artistas e profissionais um conjunto de sugestões e ferramentas de preparação para os showcasese conferências internacionais, desde o processo de candidatura ao follow-up pós-evento, passando pela preparação e o desempenho no local. O acesso é gratuito mediante inscrição através do envio de um e-mail para info@whyportugal.org.

Para mais informações clique aqui.

Candidaturas ao Fundo de Apoio ao Cinema 2019 abertas até 15 de março

Os projetos de filmes em fase de pós produção (alinhamento ou montagem quase finalizada) da autoria de realizadores portugueses (ou de estrangeiros com residência permanente em Portugal) e com produção portuguesa, podem candidatar-se à edição de 2019 do Fundo de Apoio ao Cinema até ao dia 15 de março.

O Fundo de Apoio ao Cinema é uma iniciativa da IndieLisboa – Associação Cultural e tem como objetivo funcionar como um instrumento complementar de apoio à pós-produção de filmes portugueses. A iniciativa teve a sua primeira edição em 2011, durante o período de maiores dificuldades para a atividade cinematográfica.

O fundo foi constituído por um conjunto de parceiros associados e concebido como um instrumento adicional de apoio aos financiamentos existentes em Portugal, com uma periodicidade anual. Em 2019, a Fundação GDA renova a sua parceria através do apoio para Bandas Sonoras, juntando-se aos habituais parceiros: IndieLisboa – Associação Cultural, Universidade Lusófona de Humanidades e Tecnologias (ULHT), Digital Mix Música e Imagem e saudando os dois novos parceiros desta edição – The Yellow Color, um novo estúdio de pós produção de imagem fundado por Marco Amaral e a Portugal Film – Agência Internacional de Cinema Português que participará para mostrar a agentes internacionais (programadores, distribuidores e críticos) os trabalhos em fase de work-in-progress em sessões privadas especialmente organizadas para estes convidados internacionais.

Os projetos de filmes em fase de pós produção (alinhamento ou montagem quase finalizada) da autoria de realizadores portugueses (ou de estrangeiros com residência permanente em Portugal) e com produção portuguesa, podem candidatar-se à edição de 2019 do Fundo de Apoio ao Cinema até ao dia 15 de março.

Entre os apoios concedidos contam-se o valor de € 1.500,00 atribuído a um documentário, no âmbito do apoio DocNomads (ULHT); serviços de pós-produção de som para dois filmes (uma longa-metragem e uma curta-metragem) pela Digital Mix Música e Imagem; €6.000,00 para criação de bandas sonoras, premiando uma longa-metragem (€4.000,00) e uma curta-metragem (€2.000.00), ou, em alternativa, três curtas-metragens (cada uma com €2.000,00) atribuídos pela Fundação GDA e finalmente apoio à pós produção de imagem (2 dias de estúdio) pela The Yellow Color.

Os projetos candidatos podem ser curtas ou longas-metragens, independentemente do seu género (ficção, documentário, animação ou experimental), em fase de pós-produção, no momento da candidatura. A grande novidade do Fundo de Apoio ao Cinema 2019 é que os projetos candidatos podem ter obtido outros apoios (nomeadamente do ICA ou da Fundação GDA), havendo uma quota de 50% garantida para projetos de baixo orçamento (ver regulamento).

Uma comissão constituída por elementos de todas as entidades parceiras na edição de 2019 escolherá 8 projetos (de todas as candidaturas válidas recebidas) até ao dia 5 de abril de 2019. Estes 8 projetos pré-selecionados serão posteriormente apresentados perante um júri internacional, durante a realização do festival IndieLisboa, no âmbito do qual irão realizar um pitching de apresentação e serão visionados os excertos dos trabalhos. A decisão final será conhecida no dia seguinte ao da realização do pitching e podem ser apoiados um máximo de 4 projetos.

As candidaturas devem ser efetivadas através do envio de um pdf (único) com a ficha de inscrição e todos os restantes documentos pedidos ao cuidado de Carlota Gonçalves para o e-mail fundo@indielisboa.com.

Regulamento
Clique aqui para aceder

Formulário de Inscrição
Clique aqui para aceder

1.ª fase do concurso de Edição Fonográfica de Intérprete abre a 11 de março

As candidaturas da 1.ª fase do Programa de Apoio à Edição Fonográfica de Intérprete 2019 decorrem de 11 a 29 de março no Portal do Artista, recomendando-se a leitura prévia do Regulamento Geral 2019, do Regulamento Específico e do Aviso de Abertura.

O Programa de Apoio à Edição Fonográfica de Intérprete visa apoiar projetos de edição fonográfica de intérprete. Os apoios são destinados a suportar os custos relacionados com a gravação e produção de novas obras fonográficas. Através deste programa, a Fundação GDA pretende dinamizar o mercado editorial da música portuguesa, a diversidade das expressões musicais e o acesso e usufruto dos cidadãos à criatividade musical.

Em 2019, este concurso tem uma verba total a distribuir de €300.000,00 (trezentos mil euros), a dividir em partes iguais pelas duas fases do concurso, que terão lugar, numa primeira fase de 11 a 29 de março e, numa segunda fase, de 9 a 27 de setembro de 2019..

Existem, em cada uma das fases, dois patamares financeiros de apoio, de € 3.500,00 (três mil e quinhentos euros) para projetos que envolvam até 3 músicos e € 5.500,00 (cinco mil e quinhentos euros) para projetos que envolvam mais de 3 músicos.

Os apoios concedidos no âmbito deste programa, são atribuídos a título de comparticipação nas despesas diretamente relacionadas com a prestação do trabalho dos artistas intérpretes, nomeadamente cachets de músicos, honorários de técnicos, captação, edição, mistura, masterização, duplicação de suportes, layout, design gráfico, fotos, impressão, capas, booklet, inlay, celofanagem, entre outros.

Recomenda-se a consulta do Regulamento Geral de Apoios para 2019, do Regulamento Específico, bem como do Aviso de Abertura deste concurso, ficando o respetivo formulário de candidatura disponível para preenchimento no Portal do Artista a partir de 11 de março de 2019.

Já abriu o Concurso de Apoio a Espetáculos de Teatro e Dança 2019

As candidaturas à edição de 2019 do Programa de Apoio a Espetáculos de Teatro e Dança, promovido pela Fundação GDA decorrem até ao dia 8 de março. Este concurso envolve uma verba total de €300.000 a distribuir por pelo menos 40 candidaturas, sendo o montante máximo a atribuir de €7.500 por projeto.

As candidaturas ao Programa de Apoio a Espetáculos de Teatro e Dança abriram a 11 de fevereiro e decorrem até 8 de março. A Fundação GDA investe este ano €300.000 neste concurso, o que permitirá apoiar pelo menos 40 dos projetos candidatos com um valor máximo de € 7.500.

Os apoios concedidos pela Fundação GDA no âmbito deste programa, são atribuídos a título de comparticipação nas despesas diretamente relacionadas com a prestação do trabalho dos artistas intérpretes, nomeadamente cachets, viagens, estadias, alimentação e transporte.

Recorde-se que o Programa de Apoio aos Artistas Intérpretes em Espetáculos de Teatro e Dança tem como objetivo apoiar a produção e apresentação pública de projetos nos domínios do teatro, da dança e dos cruzamentos disciplinares, promovendo oportunidades para o desenvolvimento da atividade profissional dos atores e dos bailarinos e, ao mesmo tempo, dinamizando a oferta e a diversidade criativa nestas áreas aos públicos nacionais.

O interessados deverão consultar o Regulamento Geral de Apoios para 2019, o Regulamento Específico deste programa, bem como do Aviso de Abertura deste concurso.

O processo de candidatura decorre online, estando o respetivo formulário disponível para preenchimento no Portal do Artista, até 8 de março.