Aprender a tirar partido dos fundos europeus em ambiente de tertúlia para artistas

A iniciativa #makethemost (Fundos Europeus para as Artes e a Cultura) arranca, já no próximo dia 2 de julho, entre as 18 e a 21 horas, no Polo Cultural das Gaivotas, em Lisboa (Rua das Gaivotas, n.º 8), e pretende dotar os artistas dos instrumentos que lhes permitem tirar o máximo proveito dos Fundos Europeus para as Artes e a Cultura.

A ideia subjacente é a de mitigar as dificuldades, criadas pela dispersão de informação por múltiplas plataformas, opacidade da linguagem ou as dúvidas técnicas e de carácter burocrático, que impedem o aproveitamento eficaz das oportunidades de financiamento disponíveis.

Com esta iniciativa, a Fundação GDA pretende motivar os artistas a recorrerem a esses fundos, e, transmitindo-lhes conhecimento, incrementar a sua capacidade de detetar oportunidades de financiamento para os seus projetos.

O #makethemost assenta na realização de sessões informais, que decorrerão em espaços culturais privilegiados, com o objetivo de fomentar o diálogo e a troca de experiências, facilitando o acesso à informação sobre os financiamentos comunitários. Tudo isso enquadrado num ambiente informal e agradável de tertúlia ao final da tarde.

“Uma das nossas ambições com estas iniciativas é a de incentivar a internacionalização e o desenvolvimento de projetos que reflitam o enorme talento dos artistas portugueses”, afirma Mário Carneiro, diretor-geral da Fundação GDA.

“Falar-se-á também de bons e maus exemplos, de projetos bem-sucedidos e enormes falhanços. Tudo excelentes exemplos de aprendizagem, por isso, será privilegiada a apresentação de casos concretos, convidando para isso os seus protagonistas”, explica Francisco Cipriano, o mentor da iniciativa e especialista em fundos europeus.

Assim, na sessão inaugural, que terá lugar, a 2 de julho, no Polo Cultural das Gaivotas, os convidados serão Nuno Saraiva e Rui Torrinha, do Westway LAB Festival, e Francisco Salgado, do Procurarte, para uma conversa solta sobre as respetivas experiências de internacionalização. Para o desenvolvimento desta iniciativa, que conta com o apoio da Câmara Municipal de Lisboa e o Polo Cultural das Gaivotas, a Fundação GDA criou uma parceria com a Mapa das Ideias e a Reserva, que garantem a produção dos eventos.

A moderação das sessões estará a cargo de Francisco Cipriano, cuja vida profissional está ligada aos instrumentos de apoio a políticas públicas, sobretudo no âmbito do desenvolvimento regional e da política de coesão, bem como de Joaquim Jorge, um dos fundadores de A Reserva e especialista na gestão de projetos Europeus.

Com esta iniciativa, a Fundação GDA volta a assumir um papel de catalisador, mediador e facilitador dos elementos que proporcionem uma maior fluidez na informação sobre programas comunitários dos quais os artistas possam beneficiar.

Recorde-se, que a Fundação GDA organizou, ao longo dos últimos dois anos, várias ações sobre fundos europeus, tendo em vista a necessidade de estimular os mecanismos e a criação de metodologia que contribuam para aprofundar a capacidade de relacionamento do setor artístico com este universo.

Uma das suas iniciativas de maior visibilidade pública concretizou-se em 2016, com realização do Seminário sobre Fundos Europeus para Artistas, realizado em Lisboa e no Porto, no qual participaram perto de 500 artistas. Sinalizou-se, dessa forma publicamente expressiva, a intenção de destacar como missão prioritária a necessidade de divulgar e de informar.

Para mais informações, visite esta página do nosso site

Concurso de Apoio à Edição Fonográfica de Intérprete abre a 12 de março com mais verbas

O programa de Apoio à Edição Fonográfica de Intérprete realiza-se em duas fases e visa apoiar projetos de edição fonográfica de intérprete, sendo os apoios destinados a suportar os custos relacionados com a gravação e produção de novas obras fonográficas.

Em 2018, este concurso apresenta-se com alterações significativas que demonstram o esforço da Fundação GDA em aumentar o espetro de artistas e projetos apoiados, investindo cerca de mais €30.000,00 (trinta mil euros) nesta edição e aumentando o montante total de apoio para €150.000,00 (cento e cinquenta mil euros).

A primeira fase de candidaturas a este apoio decorrerá de 12 a 30 de março, estando os valores de apoio fixados em dois patamares: €5.000,00 (cinco mil euros) para 10 apoios e €2.500,00 para 10 apoios.

Recomenda-se a consulta do Regulamento Geral de Apoios para 2018 bem como o Aviso de Abertura e o Regulamento Específico deste concurso, ficando o respetivo formulário de candidatura disponível para preenchimento no Portal do Artista a partir de 12 de março.

Através deste programa e do incremento no seu investimento, a Fundação GDA pretende dinamizar o mercado editorial da música portuguesa, a diversidade das expressões musicais e o acesso e usufruto dos cidadãos à criatividade musical.

© Imagem do álbum Lisboa-Paris de Bruno Belthoise, apoiado no âmbito do Programa de Apoio à Edição Fonográfica de Intérprete em 2017.

Europa Criativa atribui €2,35 milhões a 12 projectos de integração de refugiados

O objetivo geral deste programa de apoio promovido pela Europa Criativa consiste em apoiar projectos culturais, audiovisuais e intersectoriais que visem facilitar a integração dos refugiados no ambiente europeu. Pretende-se, assim, reforçar a compreensão cultural mútua e promover o diálogo intercultural e inter-religioso, a tolerância e o respeito pelas outras culturas, estabelecendo pontes e melhorando a compreensão mútua entre a população do país de acolhimento e os refugiados.

O financiamento deste programa será concedido no seguimento do aviso especial da Europa Criativa em Abril de 2016 que atraiu 274 candidaturas de 1124 organizações de 38 países diferentes. Com um orçamento inicial de €1,6 milhões, a excepcional resposta recebida por parte das organizações do sector levou a que este fosse aumentado para os €2,35 milhões. No total, serão apoiados 12 projectoscom uma média de €200,000 cada, envolvendo cerca de 62 organizações de 20 países. Estes projectos terão o seu arranque a partir deste momento, estendendo o seu trabalho até ao final de 2018.

Espera-se com o apoio concedido a estes 12 projectos ajudar os refugiados a socializar e a expressar-se sem necessariamente falarem, logo de início, a língua do país de acolhimento; constituir plataformas de aprendizagem num sentido mais amplo, promovendo o respeito e a compreensão da diversidade, das competências interculturais e cívicas, dos valores democráticos e da cidadania; proporcionar aos cidadãos da União Europeia a oportunidade de descobrirem, aprenderem e compreenderem os valores e as culturas dos refugiados e, simultaneamente, enriquecerem os seus próprios valores ao longo do processo; apoiar a divulgação e a co-criação de obras culturais e audiovisuais em toda a Europa; e oferecer a possibilidade de colaboração com organizações de outros sectores, com vista a estimular uma resposta mais abrangente, rápida, eficaz e de longo prazo a este desafio global.

Consulte informação mais completa e lista de projetos aprovados.

Curtas-metragens

Programa de apoio à produção de curtas-metragens de ficção nacionais, tendo em vista promover e profissionalizar o trabalho realizado por artistas intérpretes nestas obras, favorecendo a divulgação e desenvolvimento da sua carreira profissional.