Campanha MODE’21 decorre até 31 de janeiro de 2022

A Campanha MODE’21 – através da qual a Fundação GDA apoia a participação de artistas intérpretes e executantes em primeiras edições comerciais de obras discográficas, produzidas em Portugal, durante o ano de 2021 – já começou.

A entrega física dos álbuns pode ser efetuadas até 15 de janeiro nas instalações da Fundação GDA, ao passo que as declarações de repertório pelos artistas poderão ser feitas até 31 de janeiro de 2022.

O MODE (Música em Obras Discográficas Editadas) pretende valorizar o repertório musical de edição recente e, ao mesmo tempo, incentivar a declaração de repertório por parte dos intérpretes e executantes que participam na gravação de álbuns, seja em CD, DVD ou noutros suportes físicos. Recorde-se que, para que os direitos relativos a uma determinada obra possam ser atribuídos ao seu titular, é necessário que este declare a sua participação nessa mesma obra.

“Serão essas declarações de repertório que irão alimentar os sistemas de monitorização da GDA, os quais permitirão aos artistas receber os direitos de utilização das suas obras no espaço público da forma mais proporcional e justa possível”, esclarece Luís Sampaio, vice-presidente da GDA.

Para efeitos de participação no MODE, os artistas devem fazer chegar os discos às instalações da Fundação GDA, até 15 de janeiro de 2022, e carregar as suas declarações de repertório no Portal GDA até ao dia 31 do mesmo mês.

A Campanha MODE’21 destina- se a músicos – intérpretes ou executantes – que já sejam cooperadores da GDA, ou que venham a sê-lo até à data de conclusão das campanhas.

Para mais informações consulte o Regulamento do Programa MODE´21: AQUI  ou contacte o seu gestor de repertório gestores de repertório no Porto ou em Lisboa.

Concurso de Apoio à Edição Fonográfica de Intérprete abre a 12 de março com mais verbas

O programa de Apoio à Edição Fonográfica de Intérprete realiza-se em duas fases e visa apoiar projetos de edição fonográfica de intérprete, sendo os apoios destinados a suportar os custos relacionados com a gravação e produção de novas obras fonográficas.

Em 2018, este concurso apresenta-se com alterações significativas que demonstram o esforço da Fundação GDA em aumentar o espetro de artistas e projetos apoiados, investindo cerca de mais €30.000,00 (trinta mil euros) nesta edição e aumentando o montante total de apoio para €150.000,00 (cento e cinquenta mil euros).

A primeira fase de candidaturas a este apoio decorrerá de 12 a 30 de março, estando os valores de apoio fixados em dois patamares: €5.000,00 (cinco mil euros) para 10 apoios e €2.500,00 para 10 apoios.

Recomenda-se a consulta do Regulamento Geral de Apoios para 2018 bem como o Aviso de Abertura e o Regulamento Específico deste concurso, ficando o respetivo formulário de candidatura disponível para preenchimento no Portal do Artista a partir de 12 de março.

Através deste programa e do incremento no seu investimento, a Fundação GDA pretende dinamizar o mercado editorial da música portuguesa, a diversidade das expressões musicais e o acesso e usufruto dos cidadãos à criatividade musical.

© Imagem do álbum Lisboa-Paris de Bruno Belthoise, apoiado no âmbito do Programa de Apoio à Edição Fonográfica de Intérprete em 2017.

Curtas-metragens

Programa de apoio à produção de curtas-metragens de ficção nacionais, tendo em vista promover e profissionalizar o trabalho realizado por artistas intérpretes nestas obras, favorecendo a divulgação e desenvolvimento da sua carreira profissional.