A Fundação GDA anuncia a abertura do Programa de Bolsas de Estudo e Formação

A Fundação GDA, na prossecução da estratégia do Fundo Cultural da GDA e visando a promoção das carreiras, dignificação da profissão dos Artistas, bem como o desenvolvimento da cultura em Portugal, anuncia a abertura do período de apresentação das candidaturas ao Programa de Bolsas de Estudo e Formação, referente ao ano lectivo de 2014/2015.

Este Programa integra um conjunto mais amplo de iniciativas do mesmo género, inscrevendo-se no âmbito da prossecução dos objetivos do Fundo Cultural da GDA para 2014, nomeadamente no apoio a prestar aos Artistas e à valorização do seu trabalho, privilegiando – uma vez mais – a diversidade e a participação cultural.

O apoio que vier a ser prestado pela Fundação GDA no âmbito deste Programa destina-se exclusivamente às despesas com o curso, bolsa ou formação do candidato

No âmbito do Programa de Bolsas de Estudo e Formação 2014, a Fundação GDA irá atribuir um valor total de €35.000,00.

A Fundação GDA, na prossecução da estratégia do Fundo Cultural da GDA e visando a promoção das carreiras, dignificação da profissão dos Artistas, bem como o desenvolvimento da cultura em Portugal, anuncia a abertura do período de apresentação das candidaturas ao Programa de Bolsas de Estudo e Formação, referente ao ano lectivo de 2014/2015.

Este Programa integra um conjunto mais amplo de iniciativas do mesmo género, inscrevendo-se no âmbito da prossecução dos objetivos do Fundo Cultural da GDA para 2014, nomeadamente no apoio a prestar aos Artistas e à valorização do seu trabalho, privilegiando – uma vez mais – a diversidade e a participação cultural.

O apoio que vier a ser prestado pela Fundação GDA no âmbito deste Programa destina-se exclusivamente às despesas com o curso, bolsa ou formação do candidato

No âmbito do Programa de Bolsas de Estudo e Formação 2014, a Fundação GDA irá atribuir um valor total de €35.000,00.

As candidaturas estarão abertas entre 15 de Junho e 15 de Julho de 2014, devendo os interessados submeter o Formulário de candidatura e documentos nos termos do Regulamento do Programa que pode ser consultado no sítio da Fundação.

Os Apoios serão atribuídos e divulgados durante o mês de Agosto de 2014, segundo o Artigo 5º do Regulamento Relativo aos Programas de Apoio Fundação GDA, disponível no sítio da Fundação GDA, sendo atribuídos por decisão de um Júri independente, designado pela Fundação GDA e composto por personalidade de reconhecido mérito na área das artes performativas.

O Programa de Bolsas de Estudo e Formação 2014 destinado a Artistas, só é possível graças ao financiamento que advém dos valores gerados pela Cópia Privada e dos direitos de Comunicação Pública cobrados pela GDA aos utilizadores de prestações artísticas gravadas.

Fase 2 do Programa MODE’12 termina a 30 de Junho

O prazo para a verificação do reportório referenciado no Programa MODE’12 e o envio online das respetivas Declarações de Participação termina já no próximo dia 30 de Junho.

O Programa MODE é uma iniciativa criada e desenvolvida pela GDA, na esteira da sua missão de Defesa dos Direitos dos Artistas, e enquanto entidade de gestão apostada também em desenvolver e promover a Economia Criativa em Portugal, com o intuito de ajustar a compensação dos direitos de cópia privada e de comunicação pública, simplificando a troca de informação necessária entre os cooperadores e a GDA, nomeadamente através da disponibilização de um programa de declarações online e da criação de uma fonoteca.

Durante a Fase 1 do Programa MODE’12 referenciamos 327 discos declarados e entregues à GDA. Durante a Fase 2, os Intérpretes e Executantes que participaram em reportório referenciado, devem individualmente verificar os respetivos Extratos de Obra disponibilizados online e submeter as suas Declarações de Participação.

O prazo para entrega das Declarações de Participação termina dia 30 de Junho de 2014. Cada Intérprete ou Executante deve entregar uma declaração por cada disco em que tenha participado. Além do papel que desempenham no MODE estas declarações são essenciais à consolidação de reportório, sendo nelas que assentarão as futuras distribuições de direitos a realizar pela GDA.

A GDA decidiu afetar ao Programa MODE’12 o valor de 175.000 Euros. Este valor será atribuído às obras musicais editadas comercialmente pela primeira vez em Portugal e durante o ano de 2012.

A compensação MODE’12 será entregue aos músicos Intérpretes ou Executantes que tenham participado nas obras discográficas referenciadas, e que tenham submetido atempadamente as respetivas Declarações de Participação.

O MODE’12 teve início em Março de 2014 e estará a decorrer até finais de Junho de 2014.

A Fundação GDA anuncia a abertura do primeiro período do Programa de Apoio a Espetáculos ao Vivo e Tournée

A Fundação GDA, na prossecução da estratégia do Fundo Cultural da GDA e visando a promoção das carreiras, dignificação da profissão dos Artistas, bem como o desenvolvimento da cultura em Portugal, anuncia a abertura do primeiro período de apresentação das candidaturas ao Programa de Apoio a Espetáculos ao Vivo e Tournée.

Este Programa integra um conjunto mais amplo de iniciativas do mesmo género, inscrevendo-se no âmbito da prossecução dos objetivos do Fundo Cultural da GDA para 2014, nomeadamente no apoio a prestar aos Artistas e à valorização do seu trabalho, privilegiando – uma vez mais – a diversidade e a participação cultural.

O Programa de Apoio Espetáculos ao Vivo e Tournée surge na sequência da constatação, por parte da GDA, de que se trata de um dos sectores da atividade artística onde os efeitos da atual crise financeira no nosso país mais se repercutem, deixando os Artistas, tantas vezes, sem a possibilidade de receber qualquer remuneração. O Apoio que vier a ser prestado pela Fundação GDA no âmbito deste Programa destina-se exclusivamente a remunerar os Artistas que participem nos espetáculos através das suas interpretações ou execuções.

O montante será pago pela Fundação GDA, mediante o preenchimento das condições definidas pelo Regulamento deste Programa.

No âmbito do Programa de Apoio a Espetáculos ao Vivo e Tournée, a Fundação GDA irá atribuir um valor total de €30.000,00 e será dividido por dois períodos.

As candidaturas ao primeiro período estarão abertas entre 15 de Junho e 15 de Julho de 2014, devendo os interessados submeter o Formulário de candidatura e documentos nos termos do Regulamento do Programa que pode ser consultado no sítio da Fundação.

Os Apoios serão atribuídos e divulgados durante o mês de Agosto de 2014, segundo o Artigo 5º do Regulamento Relativo aos Programas de Apoio Fundação GDA, disponível no sítio da Fundação GDA, sendo atribuídos por decisão de um Júri independente, designado pela Fundação GDA e composto por personalidade de reconhecido mérito na área das artes performativas.

O Programa de Apoio a Espetáculos ao Vivo e Tournée destinado a Artistas, só é possível graças ao financiamento que advém dos valores gerados pela Cópia Privada e dos direitos de Comunicação Pública cobrados pela GDA aos utilizadores de prestações artísticas gravadas.

Pedro Wallenstein apresenta Programas Fundo Cultural da GDA para 2014 na entrega dos galardões do VII Prémio de Atores de Cinema Fundação GDA

Pedro Wallenstein, Presidente da GDA, apresentou durante a Cerimónia de entrega dos galardões do VII Prémio de Atores de Cinema Fundação GDA a Rita Durão e a Paulo Pires, os Programas do Fundo Cultural da GDA para 2014.

Referindo o orgulho que é para a Fundação GDA entregar mais uma vez estes prémios, não obstante o ambiente desencorajador que decorre da longa batalha judicial que se trava há vários anos opondo Artistas/GDA à maioria dos canais de televisão, dos operadores de telecomunicações e das rádios, em matéria de cobrança/pagamento dos legítimos direitos dos artistas, e a que acresce a ausência da atualização absolutamente imprescindível da Lei da Cópia Privada – sistematicamente adiada, e que é fundamental para desenvolver e impulsionar o setor da produção cultural em Portugal, o Presidente da GDA revelou que este ano será descontinuada a aposta no Programa de Bolsas de Longa Duração, só possível num contexto económico e cultural com um enquadramento distinto do atual. Assim, a Fundação GDA, através do seu Fundo Cultural, vai este ano promover os seguintes Programas: Programa de Apoio à Edição Fonográfica de Intérprete; Programa de Apoio ao Espetáculo ao Vivo e Tournée; Programa de Bolsas de Estudo e Formação; e Programa de Apoio a Curtas-metragens.

Rita Durão foi designada para o Prémio Melhor Atriz Principal da Fundação GDA pelo seu trabalho no filme “Em Segunda Mão”, e Paulo Pires, para o Prémio Melhor Ator Secundário, pela sua interpretação no filme “Até Amanhã Camaradas”. O Júri do VII Prémio de Atores de Cinema Fundação GDA foi composto por André Gago, Beatriz Batarda e Leonor Silveira.

A organização da Edição de 2013 deste prestigiado galardão foi da responsabilidade da Fundação GDA, tal como nos anos anteriores, na esteira da sua missão de desenvolvimento da ação cultural e da ação social da GDA.

O Júri do VII Prémio de Atores de Cinema Fundação GDA avaliou o desempenho dos atores e atrizes que participaram nas longas-metragens de produção nacional com estreia comercial no ano 2013.

Os vencedores receberam, além do respetivo galardão, a quantia de €3.000 categoria Prémio de Melhor Atriz Principal e de € 2.000 categoria Prémio de Melhor Ator Secundário.

As edições anteriores do Prémio de Atores de Cinema Fundação GDA distinguiram Ivo Canelas como Melhor Actor Principal, pelo seu desempenho nos filmes «Call Girl» e «O Mistério da Estrada de Sintra»; José Eduardo como Melhor Actor Secundário, pelo seu desempenho nos filmes «Julgamento», «Corrupção» e «Dot.com»; Anabela Moreira e Tiago Rodrigues como Melhor Atriz Principal e Melhor Actor Secundário respetivamente, pelas suas representações no filme «Malnascida»; Soraia Chaves e Virgílio Castelo como Melhor Atriz Principal e Melhor Actor Secundário por «Salazar – A Vida Privada» e «Um Amor de Perdição», respetivamente; Leonor Baldaque e São José Correia, pelos filmes de longa-metragem «A Religiosa Portuguesa» e «O Inimigo Sem Rosto», como Melhor Atriz Principal e Melhor Atriz Secundária; Fernando Luís e Nuno Lopes que venceram ex-aequo o Prémio de Melhor Ator Principal pelas suas interpretações nos filmes “América” e “Sangue do Meu Sangue”, respetivamente, e Rita Martins como Melhor Atriz secundária pela sua representação filme de longa-metragem “Efeitos Secundários”; e Dalila do Carmo e Ângelo Torres pelos seus desempenhos nos filmes “Florbela” e “Estrada de Palha” respetivamente.

Sobre Rita Durão

Rita Durão nasceu em Lisboa em 1976.

No teatro trabalhou com encenadores como João Perry, Fernando Heitor, Luís Miguel Cintra, Christine Laurent, Jorge Silva Melo, Ricardo Aibéo, Rafaela Santos, Nuno Cardoso, António Quito. O seu percurso teatral está no entanto fortemente marcado pelas colaborações frequentes com o Teatro da Cornucópia.

No cinema trabalhou com João César Monteiro, José Álvaro Morais, José Fonseca e Costa, Alberto Seixas Santos, Catarina Ruivo, João Constâncio, Rita Azevedo Gomes, Bruno Ramos, Inês Oliveira, Maria de Medeiros, Jane Waltz, Jacinto Lucas Pires.

Em televisão participou recentemente em séries como Conta-me Como Foi, Liberdade 21 e Cidade Despida.

Trabalhou também com realizadores como Ana Luísa Guimarães, Francisco Manso, Sérgio Graciano, Paolo Marinau-Blanco, António Pires e Luís Alvarães.

Paralelamente ao seu percurso como atriz iniciou-se na orientação e dinamização da disciplina/oficina de Expressão Dramática.

Começou a fazer teatro na Escola Secundária Camilo Castelo Branco, em Carnaxide, no Grupo de Teatro 4o Período O do Prazer, orientado por António Fonseca. Projeto emblemático de integração e interação da comunidade escolar com as variadas faixas que a rodeiam através do Teatro e da Expressão Dramática.

Sobre Paulo Pires

No teatro, ao longo da sua carreira, participou nas peças A Minha Noite com o Gil (1996) com encenação de Fernando Heitor, Real Caçada ao Sol (2000) encenado por Carlos Avillez, O Avião de Troia, A Maçã no Escuro, Menina e Moça (1996, 2000 e 2003) com encenação de Maria Emília Correia, Copenhaga (2003 e 2005) com encenação de João Lourenço, Pequenos Crimes Conjugais (2007) com encenação de José Fonseca e Costa, Rock’n´Roll (2008) e O Deus da Matança (2009) com encenação de João Lourenço, entre outros, e a mais recente peça em cena A Noite com encenação de José Carlos Garcia (2013/14). Interpretou o narrador de Pedro e o Lobo, de Prokofiev, e O Lobo Diogo e o Mosquito Valentim, de Eurico Carrapatoso no Concerto de Natal da Orquestra Nacional do Porto, com direção musical do Maestro João Paulo Santos e direção cénica de Ricardo Pais.

Estreou-se no cinema em 1994 com Zéphiro de José Álvaro de Morais e, desde então, tem participado regularmente em curtas e longas-metragens. Dos seus trabalhos, destacam-se Cinco Dias, Cinco noites de José Fonseca e Costa, O Milagre Segundo Salomé de Mário Barroso, Un Suave Olor a Canela de Giovanna Ribes (Espanha), Até Amanhã Camaradas e Quarta Divisão de Joaquim Leitão.

Em televisão, além de Portugal, tem gravado também no Brasil e em Espanha, tendo-se destacado em vários tipos de projetos, entre os quais: a novela Salsa e Merengue (Rede Globo); Terra Mãe (RTP); Ganância (SIC); Olhar da Serpente (SIC); Deixa-me Amar (TVI); Olhos nos Olhos (TVI) ou Belmonte (TVI), nas séries Jornalistas (SIC); Fúria de Viver (SIC); Ana e os Sete (TVI); O Segredo (co-produção luso-brasileira, RTP); Los Serrano (Tele5); Fuera de Control (TVE); Ellas y el Sexo Débil (Antena 3), Equador (TVI) e Bairro (TVI), etc. Participou nos telefilmes Aniversário, de Mário Barroso (SIC), 29 Golpes, de Jorge Paixão da Costa (RTP), La Baronesa (Tele5) e mais recentemente em Ein Sommer in Portugal (ZDF) rodado em língua Alemã.

Em 1996 e 1997 recebeu os Globos de Ouro, Teatro-Personalidade do Ano e Actor Revelação, e em 2004 foi nomeado para melhor ator com a peça Copenhaga de João Lourenço no Teatro Aberto. Em 2014 foi já nomeado para o Globo de melhor ator com o filme Quarta Divisão de Joaquim Leitão.

André Gago, Presidente do Júri do VII Prémio de Atores de Cinema Fundação GDA, defende: televisão pública deve dar o exemplo e pagar direitos aos artistas

Durante a cerimónia de entrega dos galardões do VII Prémio de Atores de Cinema Fundação GDA a Rita Durão e Paulo Pires, respetivamente Prémio Melhor Atriz Principal e Prémio Melhor Ator Secundário, numa Cerimónia realizada no Cinema São Jorge em Lisboa, André Gago, Presidente do Júri desta edição dos Prémios, afirmou que está na altura dos diferendos judiciais chegarem a uma conclusão e as televisões procederem ao pagamento dos direitos devidos aos artistas. André Gago defendeu ainda que o canal de televisão pública, justamente porque existe para prestar um serviço público a todos os cidadãos, deveria ser o primeiro a pagar e assim dar o exemplo do modelo de relacionamento correto entre televisões e artistas.

Rita Durão foi designada para o Prémio Melhor Atriz Principal da Fundação GDA pelo seu trabalho no filme “Em Segunda Mão”, e Paulo Pires, para o Prémio Melhor Ator Secundário, pela sua interpretação no filme “Até Amanhã Camaradas”. O Júri do VII Prémio de Atores de Cinema Fundação GDA foi composto por André Gago, Beatriz Batarda e Leonor Silveira.

A organização da Edição de 2013 deste prestigiado galardão foi da responsabilidade da Fundação GDA, tal como nos anos anteriores, na esteira da sua missão de desenvolvimento da ação cultural e da ação social da GDA.

O Júri do VII Prémio de Atores de Cinema Fundação GDA avaliou o desempenho dos atores e atrizes que participaram nas longas-metragens de produção nacional com estreia comercial no ano 2013.

Os vencedores receberam, além do respetivo galardão, a quantia de €3.000 categoria Prémio de Melhor Atriz Principal e de € 2.000 categoria Prémio de Melhor Ator Secundário.

As edições anteriores do Prémio de Atores de Cinema Fundação GDAdistinguiram Ivo Canelas como Melhor Actor Principal, pelo seu desempenho nos filmes «Call Girl» e «O Mistério da Estrada de Sintra»; José Eduardo como Melhor Actor Secundário, pelo seu desempenho nos filmes «Julgamento», «Corrupção» e «Dot.com»; Anabela Moreira e Tiago Rodrigues como Melhor Atriz Principal e Melhor Actor Secundário respetivamente, pelas suas representações no filme «Malnascida»; Soraia Chaves e Virgílio Castelo como Melhor Atriz Principal e Melhor Actor Secundário por «Salazar – A Vida Privada» e «Um Amor de Perdição», respetivamente; Leonor Baldaque e São José Correia, pelos filmes de longa-metragem «A Religiosa Portuguesa» e «O Inimigo Sem Rosto», como Melhor Atriz Principal e Melhor Atriz Secundária; Fernando Luís e Nuno Lopes que venceram ex-aequo o Prémio de Melhor Ator Principal pelas suas interpretações nos filmes “América” e “Sangue do Meu Sangue”, respetivamente, e Rita Martins como Melhor Atriz secundária pela sua representação filme de longa-metragem “Efeitos Secundários”; e Dalila do Carmo e Ângelo Torres pelos seus desempenhos nos filmes “Florbela” e “Estrada de Palha” respetivamente.

Sobre Rita Durão

Rita Durão nasceu em Lisboa em 1976.

No teatro trabalhou com encenadores como João Perry, Fernando Heitor, Luís Miguel Cintra, Christine Laurent, Jorge Silva Melo, Ricardo Aibéo, Rafaela Santos, Nuno Cardoso, António Quito. O seu percurso teatral está no entanto fortemente marcado pelas colaborações frequentes com o Teatro da Cornucópia.

No cinema trabalhou com João César Monteiro, José Álvaro Morais, José Fonseca e Costa, Alberto Seixas Santos, Catarina Ruivo, João Constâncio, Rita Azevedo Gomes, Bruno Ramos, Inês Oliveira, Maria de Medeiros, Jane Waltz, Jacinto Lucas Pires.

Em televisão participou recentemente em séries como Conta-me Como Foi, Liberdade 21 e Cidade Despida.

Trabalhou também com realizadores como Ana Luísa Guimarães, Francisco Manso, Sérgio Graciano, Paolo Marinau-Blanco, António Pires e Luís Alvarães.

Paralelamente ao seu percurso como atriz iniciou-se na orientação e dinamização da disciplina/oficina de Expressão Dramática.

Começou a fazer teatro na Escola Secundária Camilo Castelo Branco, em Carnaxide, no Grupo de Teatro 4o Período O do Prazer, orientado por António Fonseca. Projeto emblemático de integração e interação da comunidade escolar com as variadas faixas que a rodeiam através do Teatro e da Expressão Dramática.

Sobre Paulo Pires

No teatro, ao longo da sua carreira, participou nas peças A Minha Noite com o Gil (1996) com encenação de Fernando Heitor, Real Caçada ao Sol (2000) encenado por Carlos Avillez, O Avião de Troia, A Maçã no Escuro, Menina e Moça (1996, 2000 e 2003) com encenação de Maria Emília Correia, Copenhaga (2003 e 2005) com encenação de João Lourenço, Pequenos Crimes Conjugais (2007) com encenação de José Fonseca e Costa, Rock’n´Roll (2008) e O Deus da Matança (2009) com encenação de João Lourenço, entre outros, e a mais recente peça em cena A Noite com encenação de José Carlos Garcia (2013/14). Interpretou o narrador de Pedro e o Lobo, de Prokofiev, e O Lobo Diogo e o Mosquito Valentim, de Eurico Carrapatoso no Concerto de Natal da Orquestra Nacional do Porto, com direção musical do Maestro João Paulo Santos e direção cénica de Ricardo Pais.

Estreou-se no cinema em 1994 com Zéphiro de José Álvaro de Morais e, desde então, tem participado regularmente em curtas e longas-metragens. Dos seus trabalhos, destacam-se Cinco Dias, Cinco noites de José Fonseca e Costa, O Milagre Segundo Salomé de Mário Barroso, Un Suave Olor a Canela de Giovanna Ribes (Espanha), Até Amanhã Camaradas e Quarta Divisão de Joaquim Leitão.

Em televisão, além de Portugal, tem gravado também no Brasil e em Espanha, tendo-se destacado em vários tipos de projetos, entre os quais: a novela Salsa e Merengue (Rede Globo); Terra Mãe (RTP); Ganância (SIC); Olhar da Serpente (SIC); Deixa-me Amar (TVI); Olhos nos Olhos (TVI) ou Belmonte (TVI), nas séries Jornalistas (SIC); Fúria de Viver (SIC); Ana e os Sete (TVI); O Segredo (co-produção luso-brasileira, RTP); Los Serrano (Tele5); Fuera de Control (TVE); Ellas y el Sexo Débil (Antena 3), Equador (TVI) e Bairro (TVI), etc. Participou nos telefilmes Aniversário, de Mário Barroso (SIC), 29 Golpes, de Jorge Paixão da Costa (RTP), La Baronesa (Tele5) e mais recentemente em Ein Sommer in Portugal (ZDF) rodado em língua Alemã.

Em 1996 e 1997 recebeu os Globos de Ouro, Teatro-Personalidade do Ano e Actor Revelação, e em 2004 foi nomeado para melhor ator com a peça Copenhaga de João Lourenço no Teatro Aberto. Em 2014 foi já nomeado para o Globo de melhor ator com o filme Quarta Divisão de Joaquim Leitão.

Rita Durão e Paulo Pires receberam emocionados os galardões do VII Prémio de Atores de Cinema Fundação GDA, um Prémio criado por e para atores

Rita Durão e Paulo Pires, respetivamente Prémio Melhor Atriz Principal e Prémio Melhor Ator Secundário, receberam os galardões do VII Prémio de Atores de Cinema Fundação GDA numa Cerimónia realizada no Cinema São Jorge em Lisboa, que foi apresentada pelos atores Cláudia Cadima e Carlos Vieira de Almeida, membros da Direção da GDA, e durante a qual atuaram o Quórum Ballet e a Banda Diretiva da GDA, composta por Pedro Wallenstein, João Nuno Represas, Cristina Q, João Afonso (voz), Luís Sampaio, Tomás Pimentel e José Moz Carrapa.

Rita Durão e Paulo Pires destacaram a importância de receberem este Prémio da Fundação GDA, que tem como objetivo e espírito promover, valorizar e distinguir anualmente o trabalho e dos atores e das atrizes de nacionalidade ou língua portuguesa, no formato cinema, e que foi criado por e para atores. O Júri do VII Prémio de Atores de Cinema Fundação GDA foi composto por André Gago, Beatriz Batarda e Leonor Silveira. Rita Durão salientou ainda a importância do trabalho da Fundação GDA ao longo do ano no desenvolvimento das diversas iniciativas vocacionadas para apoiarem as carreiras dos artistas.

Rita Durão foi designada para o Prémio da Fundação GDA pelo seu trabalho no filme “Em Segunda Mão”, e Paulo Pires, pela sua interpretação no filme “Até Amanhã Camaradas”.

A organização da Edição de 2013 deste prestigiado galardão foi da responsabilidade da Fundação GDA, tal como nos anos anteriores, na esteira da sua missão de desenvolvimento da ação cultural e da ação social da GDA.

O Júri do VII Prémio de Atores de Cinema Fundação GDA avaliou o desempenho dos atores e atrizes que participaram nas longas-metragens de produção nacional com estreia comercial no ano 2013.

Os vencedores receberam, além do respetivo galardão, a quantia de €3.000 categoria Prémio de Melhor Atriz Principal e de € 2.000 categoria Prémio de Melhor Ator Secundário.

As edições anteriores do Prémio de Atores de Cinema Fundação GDAdistinguiram Ivo Canelas como Melhor Actor Principal, pelo seu desempenho nos filmes «Call Girl» e «O Mistério da Estrada de Sintra»; José Eduardo como Melhor Actor Secundário, pelo seu desempenho nos filmes «Julgamento», «Corrupção» e «Dot.com»; Anabela Moreira e Tiago Rodrigues como Melhor Atriz Principal e Melhor Actor Secundário respetivamente, pelas suas representações no filme «Malnascida»; Soraia Chaves e Virgílio Castelo como Melhor Atriz Principal e Melhor Actor Secundário por «Salazar – A Vida Privada» e «Um Amor de Perdição», respetivamente; Leonor Baldaque e São José Correia, pelos filmes de longa-metragem «A Religiosa Portuguesa» e «O Inimigo Sem Rosto», como Melhor Atriz Principal e Melhor Atriz Secundária; Fernando Luís e Nuno Lopes que venceram ex-aequo o Prémio de Melhor Ator Principal pelas suas interpretações nos filmes “América” e “Sangue do Meu Sangue”, respetivamente, e Rita Martins como Melhor Atriz secundária pela sua representação filme de longa-metragem “Efeitos Secundários”; e Dalila do Carmo e Ângelo Torres pelos seus desempenhos nos filmes “Florbela” e “Estrada de Palha” respetivamente.

Sobre Rita Durão

Rita Durão nasceu em Lisboa em 1976.

No teatro trabalhou com encenadores como João Perry, Fernando Heitor, Luís Miguel Cintra, Christine Laurent, Jorge Silva Melo, Ricardo Aibéo, Rafaela Santos, Nuno Cardoso, António Quito. O seu percurso teatral está no entanto fortemente marcado pelas colaborações frequentes com o Teatro da Cornucópia.

No cinema trabalhou com João César Monteiro, José Álvaro Morais, José Fonseca e Costa, Alberto Seixas Santos, Catarina Ruivo, João Constâncio, Rita Azevedo Gomes, Bruno Ramos, Inês Oliveira, Maria de Medeiros, Jane Waltz, Jacinto Lucas Pires.

Em televisão participou recentemente em séries como Conta-me Como Foi, Liberdade 21 e Cidade Despida.

Trabalhou também com realizadores como Ana Luísa Guimarães, Francisco Manso, Sérgio Graciano, Paolo Marinau-Blanco, António Pires e Luís Alvarães.

Paralelamente ao seu percurso como atriz iniciou-se na orientação e dinamização da disciplina/oficina de Expressão Dramática.

Começou a fazer teatro na Escola Secundária Camilo Castelo Branco, em Carnaxide, no Grupo de Teatro 4o Período O do Prazer, orientado por António Fonseca. Projeto emblemático de integração e interação da comunidade escolar com as variadas faixas que a rodeiam através do Teatro e da Expressão Dramática.

Sobre Paulo Pires

No teatro, ao longo da sua carreira, participou nas peças A Minha Noite com o Gil (1996) com encenação de Fernando Heitor, Real Caçada ao Sol (2000) encenado por Carlos Avillez, O Avião de Troia, A Maçã no Escuro, Menina e Moça (1996, 2000 e 2003) com encenação de Maria Emília Correia, Copenhaga (2003 e 2005) com encenação de João Lourenço, Pequenos Crimes Conjugais (2007) com encenação de José Fonseca e Costa, Rock’n´Roll (2008) e O Deus da Matança (2009) com encenação de João Lourenço, entre outros, e a mais recente peça em cena A Noite com encenação de José Carlos Garcia (2013/14). Interpretou o narrador de Pedro e o Lobo, de Prokofiev, e O Lobo Diogo e o Mosquito Valentim, de Eurico Carrapatoso no Concerto de Natal da Orquestra Nacional do Porto, com direção musical do Maestro João Paulo Santos e direção cénica de Ricardo Pais.

Estreou-se no cinema em 1994 com Zéphiro de José Álvaro de Morais e, desde então, tem participado regularmente em curtas e longas-metragens. Dos seus trabalhos, destacam-se Cinco Dias, Cinco noites de José Fonseca e Costa, O Milagre Segundo Salomé de Mário Barroso, Un Suave Olor a Canela de Giovanna Ribes (Espanha), Até Amanhã Camaradas e Quarta Divisão de Joaquim Leitão.

Em televisão, além de Portugal, tem gravado também no Brasil e em Espanha, tendo-se destacado em vários tipos de projetos, entre os quais: a novela Salsa e Merengue (Rede Globo); Terra Mãe (RTP); Ganância (SIC); Olhar da Serpente (SIC); Deixa-me Amar (TVI); Olhos nos Olhos (TVI) ou Belmonte (TVI), nas séries Jornalistas (SIC); Fúria de Viver (SIC); Ana e os Sete (TVI); O Segredo (co-produção luso-brasileira, RTP); Los Serrano (Tele5); Fuera de Control (TVE); Ellas y el Sexo Débil (Antena 3), Equador (TVI) e Bairro (TVI), etc. Participou nos telefilmes Aniversário, de Mário Barroso (SIC), 29 Golpes, de Jorge Paixão da Costa (RTP), La Baronesa (Tele5) e mais recentemente em Ein Sommer in Portugal (ZDF) rodado em língua Alemã.

Em 1996 e 1997 recebeu os Globos de Ouro, Teatro-Personalidade do Ano e Actor Revelação, e em 2004 foi nomeado para melhor ator com a peça Copenhaga de João Lourenço no Teatro Aberto. Em 2014 foi já nomeado para o Globo de melhor ator com o filme Quarta Divisão de Joaquim Leitão.

Rita Durão e Paulo Pires são os vencedores do VII Prémio de Atores de Cinema Fundação GDA

A GDA anuncia hoje os vencedores do VII Prémio de Atores de Cinema Fundação GDA, uma iniciativa levada a cabo através Fundo Cultural no âmbito da Fundação GDA. O Júri do VII Prémio de Atores de Cinema Fundação GDA, composto por André Gago, Beatriz Batarda e Leonor Silveira, designou para o Prémio de Melhor Atriz Principal Rita Durão pelo seu trabalho no filme “Em Segunda Mão”. O Prémio Melhor Ator Secundário foi atribuído a Paulo Pires, pela sua interpretação no filme “Até Amanhã Camaradas”.

A Cerimónia de Entrega dos Prémios irá ter lugar no Cinema S. Jorge, em Lisboa, no próximo dia 19 de Maio, a partir das 18:30, e durante a mesma será feita a apresentação dos programas do Fundo Cultural da GDA para 2014.

Os vencedores irão receber, além do respetivo galardão, a quantia de €3.000 Prémio de Melhor Atriz Principal e de € 2.000 Prémio de Melhor Ator Secundário.

A organização da Edição de 2013 deste prestigiado galardão é da responsabilidade da Fundação GDA, tal como nos anos anteriores, na esteira da sua missão de desenvolvimento da ação cultural e da ação social da GDA. O Prémio tem como objetivo e espírito promover, valorizar e distinguir anualmente o trabalho dos atores e das atrizes de nacionalidade ou língua portuguesa, no formato cinema.

O Júri do VII Prémio de Atores de Cinema Fundação GDA avaliou o desempenho dos atores e atrizes que participaram nas longas-metragens de produção nacional com estreia comercial no ano 2013.

As edições anteriores do Prémio de Atores de Cinema Fundação GDA distinguiram Ivo Canelas como Melhor Actor Principal, pelo seu desempenho nos filmes «Call Girl» e «O Mistério da Estrada de Sintra»; José Eduardo como Melhor Actor Secundário, pelo seu desempenho nos filmes «Julgamento», «Corrupção» e «Dot.com»; Anabela Moreira e Tiago Rodrigues como Melhor Atriz Principal e Melhor Actor Secundário respetivamente, pelas suas representações no filme «Malnascida»; Soraia Chaves e Virgílio Castelo como Melhor Atriz Principal e Melhor Actor Secundário por «Salazar – A Vida Privada» e «Um Amor de Perdição», respetivamente; Leonor Baldaque e São José Correia, pelos filmes de longa-metragem «A Religiosa Portuguesa» e «O Inimigo Sem Rosto», como Melhor Atriz Principal e Melhor Atriz Secundária; Fernando Luís e Nuno Lopes que venceram ex-aequo o Prémio de Melhor Ator Principal pelas suas interpretações nos filmes “América” e “Sangue do Meu Sangue”, respetivamente, e Rita Martins como Melhor Atriz secundária pela sua representação filme de longa-metragem “Efeitos Secundários”; e Dalila do Carmo e Ângelo Torres pelos seus desempenhos nos filmes “Florbela” e “Estrada de Palha” respetivamente.

Sobre Rita Durão

Rita Durão nasceu em Lisboa em 1976.

No teatro trabalhou com encenadores como João Perry, Fernando Heitor, Luís Miguel Cintra, Christine Laurent, Jorge Silva Melo, Ricardo Aibéo, Rafaela Santos, Nuno Cardoso, António Quito. O seu percurso teatral está no entanto fortemente marcado pelas colaborações frequentes com o Teatro da Cornucópia.

No cinema trabalhou com João César Monteiro, José Álvaro Morais, José Fonseca e Costa, Alberto Seixas Santos, Catarina Ruivo, João Constâncio, Rita Azevedo Gomes, Bruno Ramos, Inês Oliveira, Maria de Medeiros, Jane Waltz, Jacinto Lucas Pires.

Em televisão participou recentemente em séries como Conta-me Como Foi, Liberdade 21 e Cidade Despida.

Trabalhou também com realizadores como Ana Luísa Guimarães, Francisco Manso, Sérgio Graciano, Paolo Marinau-Blanco, António Pires e Luís Alvarães.

Paralelamente ao seu percurso como atriz iniciou-se na orientação e dinamização da disciplina/oficina de Expressão Dramática.

Começou a fazer teatro na Escola Secundária Camilo Castelo Branco, em Carnaxide, no Grupo de Teatro 4o Período O do Prazer, orientado por António Fonseca. Projeto emblemático de integração e interação da comunidade escolar com as variadas faixas que a rodeiam através do Teatro e da Expressão Dramática.

Sobre Paulo Pires

No teatro, ao longo da sua carreira, participou nas peças A Minha Noite com o Gil (1996) com encenação de Fernando Heitor, Real Caçada ao Sol (2000) encenado por Carlos Avillez, O Avião de Troia, A Maçã no Escuro, Menina e Moça (1996, 2000 e 2003) com encenação de Maria Emília Correia, Copenhaga (2003 e 2005) com encenação de João Lourenço, Pequenos Crimes Conjugais (2007) com encenação de José Fonseca e Costa, Rock’n´Roll (2008) e O Deus da Matança (2009) com encenação de João Lourenço, entre outros, e a mais recente peça em cena A Noite com encenação de José Carlos Garcia (2013/14). Interpretou o narrador de Pedro e o Lobo, de Prokofiev, e O Lobo Diogo e o Mosquito Valentim, de Eurico Carrapatoso no Concerto de Natal da Orquestra Nacional do Porto, com direção musical do Maestro João Paulo Santos e direção cénica de Ricardo Pais.

Estreou-se no cinema em 1994 com Zéphiro de José Álvaro de Morais e, desde então, tem participado regularmente em curtas e longas-metragens. Dos seus trabalhos, destacam-se Cinco Dias, Cinco noites de José Fonseca e Costa, O Milagre Segundo Salomé de Mário Barroso, Un Suave Olor a Canela de Giovanna Ribes (Espanha), Até Amanhã Camaradas e Quarta Divisão de Joaquim Leitão.

Em televisão, além de Portugal, tem gravado também no Brasil e em Espanha, tendo-se destacado em vários tipos de projetos, entre os quais: a novela Salsa e Merengue (Rede Globo); Terra Mãe (RTP); Ganância (SIC); Olhar da Serpente (SIC); Deixa-me Amar (TVI); Olhos nos Olhos (TVI) ou Belmonte (TVI), nas séries Jornalistas (SIC); Fúria de Viver (SIC); Ana e os Sete (TVI); O Segredo (co-produção luso-brasileira, RTP); Los Serrano (Tele5); Fuera de Control (TVE); Ellas y el Sexo Débil (Antena 3), Equador (TVI) e Bairro (TVI), etc. Participou nos telefilmes Aniversário, de Mário Barroso (SIC), 29 Golpes, de Jorge Paixão da Costa (RTP), La Baronesa (Tele5) e mais recentemente em Ein Sommer in Portugal (ZDF) rodado em língua Alemã.

Em 1996 e 1997 recebeu os Globos de Ouro, Teatro-Personalidade do Ano e Actor Revelação, e em 2004 foi nomeado para melhor ator com a peça Copenhaga de João Lourenço no Teatro Aberto. Em 2014 foi já nomeado para o Globo de melhor ator com o filme Quarta Divisão de Joaquim leitão.

Cinema São Jorge vai ser palco da Cerimónia de entrega dos galardões do VII Prémio de Atores de Cinema Fundação GDA dia 19 de Maio

A Fundação GDA irá entregar os galardões do VII Prémio de Atores de Cinema Fundação GDA, um prémio criado por artistas e para artistas, já no próximo dia 19 de Maio, às 18:30, numa cerimónia que terá lugar no Cinema São Jorge, em Lisboa. Em breve serão anunciados os vencedores.

O Júri do VII Prémio de Atores de Cinema Fundação GDA é composto por André Gago, Beatriz Batarda e Leonor Silveira, e irá designar quais os melhores atores principais e secundários a partir da avaliação do desempenho dos atores e atrizes que participaram nas longas-metragens de produção nacional com estreia comercial no ano 2013.

Anualmente são submetidas a concurso todas as longas-metragens que estrearam nesse período de tempo. O trabalho dos atores de nacionalidade ou língua portuguesa que tenham participado nas produções nacionais é avaliado por um júri integralmente constituído por atores.

A organização da Edição de 2013 deste prestigiado galardão é da responsabilidade da Fundação GDA, tal como nos anos anteriores, na esteira da sua missão de desenvolvimento da ação cultural e da ação social da GDA. O Prémio tem como objetivo e espírito promover, valorizar e distinguir anualmente o trabalho dos atores e das atrizes de nacionalidade ou língua portuguesa, no formato cinema.

As edições anteriores do Prémio de Atores de Cinema Fundação GDA distinguiram Ivo Canelas como Melhor Actor Principal, pelo seu desempenho nos filmes «Call Girl» e «O Mistério da Estrada de Sintra»; José Eduardo como Melhor Actor Secundário, pelo seu desempenho nos filmes «Julgamento», «Corrupção» e «Dot.com»; Anabela Moreira e Tiago Rodrigues como Melhor Atriz Principal e Melhor Actor Secundário respetivamente, pelas suas representações no filme «Malnascida»; Soraia Chaves e Virgílio Castelo como Melhor Atriz Principal e Melhor Actor Secundário por «Salazar – A Vida Privada» e «Um Amor de Perdição», respetivamente; Leonor Baldaque e São José Correia, pelos filmes de longa-metragem «A Religiosa Portuguesa» e «O Inimigo Sem Rosto», como Melhor Atriz Principal e Melhor Atriz Secundária; Fernando Luís e Nuno Lopes que venceram ex-aequo o Prémio de Melhor Ator Principal pelas suas interpretações nos filmes “América” e “Sangue do Meu Sangue”, respetivamente, e Rita Martins como Melhor Atriz secundária pela sua representação filme de longa-metragem “Efeitos Secundários”; e Dalila do Carmo e Ângelo Torres pelos seus desempenhos nos filmes “Florbela” e “Estrada de Palha” respetivamente.

Apoio à Edição Fonográfica de Intérprete

Âmbito

Este concurso realiza-se em duas fases e visa apoiar projectos de edição fonográfica de intérprete. Os apoios são destinados a suportar os custos relacionados com a gravação e produção de novas obras fonográficas. Através deste programa, a Fundação GDA pretende dinamizar o mercado editorial da música portuguesa, a diversidade das expressões musicais e o acesso e usufruto dos cidadãos à criatividade musical.

Datas de candidatura

1ª fase: 01 a 30 de Abril 2016

2ª fase: 15 de Setembro a 14 de Outubro 2016

Disposições Gerais

  • Aplicam-se as normas estabelecidas no Regulamento Geral de candidatura aos apoios da Fundação GDA e no Regulamento específico deste programa.
  • Apenas são admitidas candidaturas online apresentadas no formulário próprio (a disponibilizar na data de abertura do concurso) devidamente preenchido e que reúnam os requisitos exigidos nos regulamentos.
  • Todos os pedidos de apoio devem ser apresentados em português.
  • Os processos de candidatura só serão elegíveis para análise quando completos e submetidos online com êxito.
  • A Fundação reserva-se o direito de solicitar mais informações sobre os projectos.
  • As entidades apoiadas obrigam-se a entregar à Fundação GDA um relatório final do projecto com todos os elementos definidos nos regulamentos aplicáveis.

Condições de admissão das candidaturas
1. São admitidas candidaturas a este Programa apresentadas por artistas, intérpretes ou executantes, na definição do Artigo 3º alínea a) da Convenção de Roma de 1961, ratificada em Portugal no ano de 1999:
a) “artistas intérpretes ou executantes”, os actores, cantores, músicos, dançarinos e outras pessoas que representem, cantem, recitem, declamem, interpretem ou executem, por qualquer forma, obras literárias ou artísticas;
2. Não são admitidas candidaturas submetidas por entidades produtoras, agentes ou outras entidades colectivas.
3. Não são admitidas candidaturas de Entidades nas seguintes situações:
• Que tenham outros apoios da Fundação GDA por concluir;
• Que não apresentem a documentação solicitada;
• Com pedidos de apoio com efeitos retroactivos.
4. Não são admitidas candidaturas de carácter académico, escolar ou amador

Montante do apoio
1. O montante total de apoios a distribuir em 2016, neste concurso, é de €100.000,00 (cem mil euros), a dividir em partes iguais pelas duas fases do concurso.
2. Serão criados, em cada uma das fases, dois patamares financeiros de apoio para as candidaturas nos seguintes termos:
a. Oito apoios com o valor unitário de € 4.000,00 (quatro mil euros).
b. Nove apoios com o valor unitário de € 2.000,00 (dois mil euros).
3. Os apoios concedidos no âmbito deste Programa são atribuídos a título de comparticipação nos projectos e destinam-se a custear parcialmente despesas ou encargos orçamentados.

Objectivos específicos do apoio financeiro:

Apoiar os custos relacionados nomeadamente com:
. cachets de músicos;
. gravação: honorários de técnicos, captação, edição, mistura, masterização, entre outros;
. produção: duplicação de suportes, layout: design gráfico, fotos, impressão, capas, booklet, inlay, celofanagem, entre outros.

Prazo de execução

As candidaturas apoiadas no âmbito deste Programa terão obrigatoriamente que concluir a produção integral (gravação, mistura, masterização, capa e inlay) do fonograma no prazo máximo de 18 meses a contar da data da notificação sobre a atribuição do apoio.

Programa de Apoio ao Espetáculo ao Vivo e Tournée

A Fundação GDA apresenta o Programa de Apoio ao Espetáculo ao Vivo e Tournée – 2014, dirigido a Artistas.

A Fundação GDA distribui-o durante o ano de 2014 apoios com o fim de ajudar a suportar o pagamento do cachet do Artista, ou de qualquer outra despesa ou custo associados ao espetáculo ou tournée a realizar em Portugal ou no Estrangeiro.

Períodos de candidaturas:

  • Primeiro período: 15 de Junho a 15 de Julho de 2014;
  • Segundo período: 1 e 31 de Outubro de 2014.

Em ambos os casos, os interessados tiveram de submeter o formulário de candidatura nos termos do regulamento do programa que pode ser consultado no sítio da Fundação.

Os apoios são atribuídos por deliberação de um júri independente, designado pela Fundação GDA e composto por personalidades de reconhecido mérito nesta área.

O Programa de Apoio ao Espetáculo ao Vivo e Tournée 2014, dirigido a Artistas, é financiado com recurso aos valores gerados pela Cópia Privada e pelos direitos de comunicação pública cobrados pela GDA junto dos utilizadores de prestações artísticas fixadas (Gravadas).

Objectivos específicos do Programa:

  • Apoiar o pagamento do cachet do Artista, ou de qualquer outra despesa ou custo associados ao espetáculo ou tournée a realizar em Portugal ou no Estrangeiro.

Fundação GDA lança Programa de Apoio à Edição Fonográfica de Intérprete 2014

A Fundação GDA perseguindo a estratégia do Fundo Cultural da GDA, que visa a promoção das carreiras e dignificação da profissão dos artistas, bem como o desenvolvimento da cultura em Portugal, anuncia hoje o lançamento do Programa de Apoio à Edição Fonográfica de Intérprete 2014.

Este programa, que integra um conjunto mais amplo de iniciativas do mesmo género, inscreve-se no âmbito da prossecução dos objetivos do Fundo Cultural para 2014 a nível do apoio a prestar aos artistas e à valorização do seu trabalho, e privilegiam uma vez mais a diversidade e a participação cultural.

O Programa de Apoio à Edição Fonográfica de Intérprete para Artistas da Fundação GDA visa apoiar os custos relacionados com a edição fonográfica de intérprete, nomeadamente os cachets dos músicos; a gravação (honorários de técnicos, captação, edição, mistura, masterização, entre outros); e a produção (duplicação de suportes, layout: design gráfico, fotos, impressão, capas, booklet, inlay, celofanagem, entre outros).

O Programa de Apoio à Edição Fonográfica de Intérprete 2014 compreende dois períodos de candidaturas.

As candidaturas ao primeiro período estarão abertas entre 5 e 30 de Maio de 2014, devendo os interessados submeter o formulário de candidatura nos termos do regulamento do programa que pode ser consultado no separador da Fundação.

As candidaturas ao segundo período do programa estarão abertas entre 1 e 30 de Setembro de 2014.

Os apoios são atribuídos por deliberação de um júri independente, designado pela Fundação GDA e composto por três personalidades de reconhecido mérito nesta área.

O Programa de Apoio à Edição Fonográfica de Intérprete – 2014 é financiado com recurso aos valores gerados pela Cópia Privada e pelos direitos de remuneração equitativa cobrados pela GDA junto dos utilizadores de prestações artísticas fixadas (gravadas).

Anualmente, a Fundação GDA apoia a formação, a criação, a divulgação e a promoção dos artistas e das suas respetivas prestações e carreiras, procurando contribuir para o favorecimento da Diversidade Cultural e para o estímulo da participação cultural, através de um conjunto de Programas de Apoio Cultural.

Programa MODE’12 – Fase 1 termina em 30 de maio

Caro Amigo e Cooperador,

Lembramos que está a decorrer o Programa MODE’12 referente a discos editados em 2012.

O Programa MODE’12 tem um valor de €175.000,00 que será atribuído por referência às obras musicais editadas comercialmente pela primeira vez em Portugal e durante o ano de 2012.

Este valor será entregue aos cooperadores, Intérpretes ou Executantes, que tenham participado nas obras discográficas referenciadas e que tenham submetido as respetivas Declarações de Participação dentro dos prazos regulamentares.

Atenção: falta um mês para encerrar a primeira Fase do MODE’12, recordamos que a partir de 30 de maio não se aceitarão mais discos para o Programa.

Um Abraço e Saudações Artísticas,
A Direcção da GDA

Formação Internacional

Programa de apoio à participação em ações de formação e capacitação de âmbito internacional, as quais possam contribuir para a aquisição e consolidação de conhecimentos e para a progressão das competências técnicas e artísticas nas respetivas áreas profissionais.