Prémios Play

A 5.ª edição dos PLAY realiza-se no Coliseu dos Recreios, em Lisboa, daqui a uma semana, já no próximo dia 27 de abril. Esta edição será marcada pela habitual cerimónia de entrega de prémios, com apresentação de Filomena Cautela, e contará ainda com seis atuações ao vivo. A edição será transmitida em direto na RTP1, Antena 1, RTP Internacional, RTP África e na plataforma digital RTP Play, a partir das 21horas.

Já abriu o Concurso de Apoio a Espetáculos de Teatro e Dança

O Programa de Apoio aos Artistas Intérpretes em Espetáculos de Teatro e Dança visa apoiar a produção e apresentação pública de projetos nos domínios do teatro, da dança e dos cruzamentos disciplinares (entre as áreas performativas do teatro e dança), tendo em vista promover oportunidades para o desenvolvimento da atividade profissional dos atores e dos bailarinos, e dinamizar a oferta e a diversidade criativa nestas áreas aos públicos nacionais, prestigiando a carreira profissional dos artistas.

Este ano, o concurso atribuirá um valor total de € 300.000 com a existência de dois patamares financeiros para a atribuição dos apoios, que distinguem o número de artistas envolvidos: máximo de € 4.500 para projetos que envolvam até dois artistas intérpretes em cena e máximo de € 7.500 para projetos que envolvam mais de dois artistas intérpretes em cena.

Os apoios concedidos no âmbito deste programa serão atribuídos a título de comparticipação nas despesas ou encargos dos projetos, designadamente nos itens relacionados com a participação dos artistas intérpretes, nomeadamente comparticipando os seus cachets, as suas deslocações, as suas estadias e alimentação.

Antes do preenchimento do formulário, a pessoa candidata deve fazer uma leitura atenta do Regulamento Geral 2023 de candidatura, do Regulamento Específico deste programa, bem como do Aviso de Abertura deste concurso. O respetivo formulário de candidatura já se encontra disponível para preenchimento no Portal do Artista.

GDA e Fundação GDA celebram o Dia Mundial da Voz

A GDA e a Fundação GDA apoiam promovem e apoiam várias iniciativas no âmbito das comemorações do Dia Mundial da Voz.

Rastreios da Voz

Lisboa
Unidade da Voz do Hospital Egas Moniz
10, 11, 13 e 14 de abril
das 9:00 às 16:00
(sujeito a registo prévio. Formulário encontra-se mais abaixo nesta página)

Conferências

Cascais
Academia das Artes do Estoril (Cruzeiro)
8 de abril às 15:00
CONFERÊNCIA DRAVOZ
“A TUA VOZ É VALIOSA, A TUA VOZ É IMPORTANTE”
A Profª. Drª Clara Capucho explica a importância da voz e os cuidados a ter na mudança de voz em pessoas transgénero.

Portalegre
Instituto Politécnico
21 de abril às 17h00
CONFERÊNCIA DRAVOZ
“A TUA VOZ É VALIOSA, A TUA VOZ É IMPORTANTE”
A Profª. Drª Clara Capucho explica a importância da voz e os cuidados a ter na mudança de voz em pessoas transgénero.

Concertos

Cascais
Academia das Artes do Estoril (Cruzeiro)
15 de abril às 21:30
Participação de, entre outros artistas: Paulo de Carvalho, Paulo Gonzo, Fábia Rebordão, Jorghe Fernando, Emanuel, Miguel Gameiro, Eurico Lopes, João Pedro Pais, Anita Nobre, Joana Amendoeiras e Syro.

Évora
Teatro Garcia de Resende
16 de abril às 18:00
Participação de entre outros artistas: José Cid, Vitorino, Miguel Gameiro, Paula Marcelo, Anita Nobre, Jorge Batista da Silva, Grupos de Cantares de Évora e Monsaraz, Orquestra Juvenil, alunos da Escola de Artes da Universidade de Évora.

Palácio Dom Manuel
19 de abril às 15h00
EVENTO CULTURAL
Peças de canto lírico e jazz e declamação de poemas por alunos e alunas da Escola de Artes da Universidade de Évora.

GDA e Fundação GDA celebram o Dia Mundial da Voz com o mote “A tua voz é valiosa, a tua voz é importante”

Os rastreios que a GDA e a Fundação GDA irão desenvolver antes e depois do Dia Mundial da Voz, a 16 de abril, vão ter este ano protagonistas adicionais: os artistas transgénero, cuja presença na música e nos espetáculos de palco em Portugal saltou para a ribalta no início de 2023. A mudança de sexo, quer pelas intervenções cirúrgicas inerentes, quer pelos tratamentos hormonais, tem impacto na voz profissional, devendo por isso estar ao dispor dos atores e dos cantores os meios clínicos indispensáveis para adaptar este seu instrumento de trabalho à nova identidade.

Para além desta especificidade, os rastreios mantêm-se abertos a todos os artistas.

“Se há um tratamento indispensável, e que tem de ser totalmente personalizado, é o da adaptação da voz profissional de um artista transgénero”, afirma Clara Capucho, otorrinolaringologista especializada na voz artística, coordenadora Unidade de Voz do Hospital Egas Moniz e professora da Faculdade de Ciências Médicas da Universidade Nova de Lisboa. Segundo a especialista, que há mais de uma década organiza os rastreios da voz artística com a Fundação GDA, o ator ou a cantora que tenham mudado de sexo têm de ser acompanhados por uma equipa multidisciplinar no processo de escolha e decisão quanto ao tipo de voz, timbre e extensão que querem passar a ter.

“Há desde logo que avaliar os resultados da terapia hormonal, bem como a conformação da laringe de cada artista, para além das caraterísticas de voz que ele ou ela desejam ter”, afirma Clara Capucho que, ao longo de 2022, realizou várias cirurgias em Hamburgo com o laringologista e fonocirurgião   alemão Makus Hess, especialista em feminização da voz. “São cirurgias muito específicas, as quais nuns casos implicam esticar as cordas vocais, noutros casos encurtá-las”.

No Centro Hospitalar Lisboa Ocidental, a que pertence o Hospital Egas Moniz, estas cirurgias serão desenvolvidas dentro do protocolo existente: este implica triagem prévia na consulta de sexologia/psiquiatria e a posterior colaboração com várias especialidades, entre as quais endocrinologia, assim como professores de canto e terapeutas da fala que trabalhem com os artistas ao longo do processo. “Estes são recursos que existem na Unidade de Voz do Hospital Egas Moniz”, afirma a sua coordenadora, Clara Capucho. “Estamos a organizar-nos para, neste ano 2023, passarmos a ter consultas de voz para transgéneros”.

A otorrinolaringologista alerta que todos os cuidados a ter com os artistas transgénero adultos devem aumentar no caso dos adolescentes: “Com os artistas mais jovens a voz muda e evolui durante anos até estes se tornarem adultos”, afirma Clara Capucho. “O processo de escolha e de adaptação de voz deve ser muito ponderado e seguro”.

Novas técnicas na mudança de voz nos artistas transgénero

Na semana em que assinala o Dia Mundial da Voz, a 16 de abril, a GDA, a Fundação GDA e o Centro Hospitalar de Lisboa Ocidental – onde se inclui a Unidade de Voz do Hospital Egas Moniz – irão promover, entre 10 e 14 de abril, rastreios da voz gratuitos dirigidos à comunidade artística (mas também abertos à população) para despistar os casos mais graves.

Estes rastreios decorrerão na Unidade da Voz do Hospital Egas Moniz entre as 9h00 e as 16h00, os artistas que queiram participar poderão fazê-lo através do preenchimento de um formulário aqui, que servirá apenas de registo. A marcação será efetivada pela equipa da Unidade da Voz mediante contacto prévio com os interessados, após validação e seleção.

“Num período de progressivo crescimento do número de espetáculos em Portugal, é fundamental que todos os artistas que usam a voz como instrumento profissional tenham cuidados acrescidos”, afirma Luís Sampaio, vice-presidente da GDA.

“A GDA apela à comunidade artística para participar neste rastreio coordenado pela Professora Clara Capucho. Este rastreio, para além de detetar eventuais patologias, é, também, um momento em que são aconselhados exercícios vocais para manter a voz saudável e apta para as exigências do mercado de trabalho”.

Para assinalar o Dia Mundial da Voz 2023 – 16 de abril, domingo – está previsto um intenso programa de iniciativas dedicadas à voz artística nas semanas ao redor da data, organizadas pela DraVOZ com o apoio da Fundação GDA. Para além do rastreio no Hospital Egas Moniz, no dia 15 de abril terá lugar um espetáculo na Academia de Artes do Estoril (Cruzeiro) que contará com artistas como Paulo de Carvalho, Paulo Gonzo, Fábia Rebordão, Jorge Fernando, Emanuel, Miguel Gameiro, Eurico Lopes, entre outros.

No Dia Mundial da Voz, 16 de abril, realiza-se um espetáculo em Évora, no Teatro Garcia Resende, onde atuarão José Cid, Vitorino, Miguel Gameiro, Paula Marcelo, Grupos de Cantares de Évora e Monsaraz, Orquestra Juvenil, alunos orientados pelas professoras Joana Espadinha e Liliana Bizineche da Escola de Artes da Universidade de Évora, entre outros.

Edição fonográfica de intérprete

Programa de apoio à criação musical que pretende impulsionar a gravação e produção de novas obras fonográficas, dinamizando o mercado editorial da música portuguesa, a diversidade das expressões musicais e o acesso e usufruto dos cidadãos à criatividade.