Gabriela Barros, José Condessa e Martim Canavarro conquistam Prémio Atores de Cinema Fundação GDA

Esta noite o Teatro da Trindade, em Lisboa, recebe a cerimónia do Prémio Atores de Cinema da Fundação GDA para distinguir Gabriela Barros e José Condessa como Melhor Interpretação de Papel Principal e de Melhor Interpretação de Papel Secundário, respetivamente, pelos seus desempenhos no filme O Som Que Desce Na Terra. Martim Canavarro receberá o prémio de Novo Talento, pela sua participação em O Último Banho. Esta é a 15.ª edição do prémio português atribuído por atores a atores.

Gabriela Barros é a vencedora da 15ª edição do Prémio Atores de Cinema da Fundação GDA na categoria de “Melhor Interpretação de Papel Principal”, pelo seu desempenho no filme O Som Que Desce Na Terra, de Sérgio Graciano. José Condessa, intérprete no mesmo filme, vence o prémio na categoria de “Melhor Interpretação de Papel Secundário”. Martim Canavarro é o detentor do galardão “Novo Talento” pela sua participação na longa-metragem O Último Banho, realizado por David Bonneville. 

Os vencedores são hoje anunciados na cerimónia de entrega de prémios, que decorre no Teatro da Trindade INATEL, em Lisboa, a partir das 21h00.

Maria da Luz, uma esposa desesperada que parte para Angola em busca do marido que se encontra desaparecido após uma operação na Guerra do Ultramar é a personagem a que Gabriela Barros dá vida. José Condessa interpreta Domingos Bento, um soldado destacado para acompanhar Maria da Luz durante a sua viagem. Martim Canavarro é “Alexandre Antunes”, um jovem abandonado pela mãe e adotado pela sua tia após o falecimento do avô, que cuidava de si.  

Atribuído anualmente pela Fundação GDA, o Prémio Atores de Cinema tem como objetivos promover, valorizar e distinguir o trabalho das atrizes e dos atores de nacionalidade portuguesa, no formato cinema. Para avaliar as diferentes interpretações e produções cinematográficas de longa-metragem portuguesas, a Fundação GDA convida um júri composto por três atores que analisam as obras estreadas comercialmente em sala entre 1 de janeiro e 31 de dezembro do ano anterior ao da atribuição do prémio. Este ano, o júri é constituído por Márcia Breia, Ivo Canelas e Teresa Madruga, que assumem a responsabilidade de avaliar a qualidade, a excelência e o mérito das interpretações dos seus colegas. 

Ao troféu de Melhor Interpretação de Papel Principal corresponde um prémio pecuniário de €3.000 euros (três mil euros), ao de Melhor Interpretação de Papel Secundário um prémio de €2.000 euros (dois mil euros) e ao Novo Talento um prémio de 1.000€ (mil euros).  

Antes da cerimónia, a Fundação GDA promoveu os “Encontros com Experiência”. Tratam-se de duas sessões, em simultâneo, que reúnem atores – Miguel Borges, Miguel Guilherme e Rita Blanco – e realizadores – André Santos & Marco Leão, Ana Rocha, Gonçalo Galvão Teles – para abordar os desafios que os jovens atores e os estudantes enfrentam no mercado audiovisual. Estas jornadas, que cruzam gerações, são espaços de partilha de conhecimento e experiências.  

A cerimónia, conduzida pela atriz Rita Blanco, encerra com a curta-metragem Saturno, dos realizadores André Guiomar e Luís Costa – uma das vencedoras do Fundo do Apoio de Cinema 2021, na categoria Apoio a Bandas Sonoras Originais, financiada pela Fundação GDA. Esta produção foi igualmente apoiada pela Fundação GDA no âmbito do Programa de Apoio aos Artistas Intérpretes em Curtas-Metragens. 

“Isto não é mais um podcast” já está no ar

“Isto não é mais um podcast” é o novo espaço de conversa, criado pela Fundação GDA. A primeira temporada conta com um total de 12 episódios, dos quais cinco já se encontram disponíveis. Cada conversa é conduzida por Francisco Cipriano, especialista em Fundos Europeus.

Ao longo dos últimos seis anos, a Fundação GDA desenvolveu várias iniciativas com o intuito de aproximar a comunidade artística nacional das fontes de financiamento europeu, tendo levado a cabo um trabalho de sensibilização e divulgação, proporcionando aos agentes culturais motivação, conhecimento e capacidade de detetar oportunidades de financiamento para os seus projetos.

Numa evolução lógica do que tem sido a sua intervenção nessa área, a Fundação GDA abre agora um novo canal de comunicação: um podcast, que pretende fomentar o diálogo, a troca de experiências, facilitar o acesso à informação sobre as possibilidades de financiamento europeu.

Os primeiros cinco episódios, de um total de 12 da primeira temporada, já se encontram disponíveis nas principais plataformas digitais.

Cada episódio consiste numa entrevista com responsáveis de organizações artísticas que beneficiaram de financiamento europeu (como, por exemplo, o Coliseu do Porto ou a Companhia de Música Teatral), mas também com responsáveis nacionais de entidades que gerem programas europeus de financiamento (por exemplo, o Ponto de Contacto Nacional para o Horizonte Europa e o Centro de Informação Europa Criativa em Lisboa).

Proporcionando esta partilha de experiências e facilitando acesso à informação, a Fundação GDA pretende mostrar que o acesso ao Financiamento Europeu é possível, bem como contribuir para a internacionalização dos artistas portugueses, na expetativa de incentivar as organizações culturais a procurarem parcerias europeias e a apresentarem as suas candidaturas.

Este Podcast está disponível para subscrição gratuita nas principais plataformas digitais:

Festival MIL está de volta com descontos para os cooperadores da GDA

O MIL está de volta ao Cais do Sodré, e já tem cartaz completo com uma longa lista de artistas para descobrir. O reencontro com o melhor da música emergente tem regresso marcado nos dias 28, 29 e 30 de Setembro. Os cooperadores da GDA beneficiam de um desconto de 25% na aquisição dos bilhetes que incluem acesso aos programas profissionais e artísticos.

O Festival, e respetiva programação artística da edição deste ano, está de volta ao Cais do Sodré, enquanto a Convenção, que recebe profissionais do sector da cultura de todo o mundo, continuará no Hub Criativo do Beato.

O MIL dedica-se à descoberta, promoção, valorização e internacionalização da música popular atual. O festival antecipa futuras tendências e provoca o debate sobre todas as questões que determinam o futuro dos setores da música e da cultura.

Durante 3 dias, Lisboa torna-se no ponto de encontro de centenas de artistas e profissionais da música e da cultura vindos de todo o mundo para um programa de concertos, formação, debate e diversas oportunidades de negócio e intercâmbio.

De ano para ano, o MIL reforça o seu papel enquanto espaço networking, negócio e internacionalização dos artistas emergentes, reunindo, em Lisboa, centenas de profissionais internacionais das mais diversas áreas da música e da cultura.

Os artistas cooperadores da GDA podem beneficiar de um desconto de 25% na aquisição dos bilhetes PRO. Para usufruir deste desconto deverão entrar em contacto com a Fundação GDA, através do email dptcomunicacao@fundacaogda.pt, mencionando o nome completo e o respetivo número de cooperador.

Para mais informações, consulte o site oficial do MIL – Lisbon Internacional Music Network.

“Isto Não é Mais Um Podcast” é o novo espaço de conversa sobre Fundos Europeus promovido pela Fundação GDA

O podcast sobre fundos europeus, arte, cultura e criatividade vai debater modos eficientes de obter financiamento “de forma leve e informal”. Francisco Cipriano, especialista para os fundos europeus, conduz conversas com responsáveis de projetos culturais que vão contar como conseguiram verbas para o seu projeto. “A partilha de experiência de quem já conseguiu financiamento irá incentivar mais organizações culturais a apresentarem candidaturas”, afirma Mário Carneiro. 

A Fundação GDA vai lançar a 19 de setembro um podcast para divulgar as possibilidades de acesso dos artistas portugueses, através de organizações culturais, a verbas europeias de apoio aos seus projetos. Com o título “Isto Não é Mais Um Podcast – Fundos Europeus, Arte, Cultura e Criatividade”, os 12 episódios deste podcast reunirão testemunhos de profissionais do setor cultural com projetos europeus aprovados. Estes vão contar como se candidataram e como conseguiram o financiamento para os seus projetos que incluem digressões, espetáculos, iniciativas sociais, equipamentos, ações de formação, entre outros.

Os episódios com os diferentes convidados serão conduzidos por Francisco Cipriano, especialista para a área dos fundos europeus que colabora com a Fundação GDA nesta matéria. “O mote das conversas será a partilha de dicas, de orientações e de sugestões, de forma leve e informal, para que artistas e responsáveis de organizações culturais possam alcançar os financiamentos desejados”, afirma Francisco Cipriano. “Vamos simplificar a explicação dos processos de candidatura, divulgar as metodologias que estão associadas aos casos de sucesso e fornecer conhecimento para detetarem oportunidades de financiamento”. 

O podcast destina-se a associações e estruturas culturais, programadores, curadores, produtores culturais e os próprios artistas. “Queremos ser inspiradores para as organizações na forma de aceder aos fundos europeus que estão à sua disposição: aquelas que já conseguiram financiamento vão contar a sua experiência e motivar as que estão agora a dar os primeiros passos”. Para Francisco Cipriano, o importante é que a mensagem chegue à comunidade artística e que mais pessoas possam concorrer, quer a verbas europeias que são geridas em Portugal, quer a fundos que estão acessíveis diretamente em Bruxelas: “Importa fazer uma desmistificação das complexidades e das burocracias que, embora existam, são ultrapassáveis”.   

Alargar o acesso da comunidade artística à informação” 

O podcast será mais um elemento de comunicação no trabalho dedicado aos fundos europeus que a Fundação GDA tem desenvolvido nos últimos anos, no qual se destaca o projeto #makethemost – Fundos Europeus para as Artes e Cultura.  

“Esta nova iniciativa serve para expandir os canais de informação sobre os fundos europeus para a cultura”, afirma Mário Carneiro, diretor-geral da Fundação GDA. “Vamos transportar as sessões do #makethemost para um canal digital interativo para facilitar e alargar o acesso da comunidade artística à informação”.

A primeira temporada de “Isto Não é Mais Um Podcast – Fundos Europeus, Arte, Cultura e Criatividade” terá episódios de 45 minutos e vai contar com responsáveis de organizações artísticas beneficiárias de financiamento europeu, como o Coliseu do Porto, ou a Companhia de Música Teatral e com entidades nacionais com responsabilidade na gestão e divulgação de programas Europeus, como o Ponto de Contacto Nacional para o Horizonte Europa, especificamente nas áreas de Cultura e Criatividade, Sociedade Inclusiva e Segurança Civil, na Agência Nacional de Inovação (ANI) e o Centro de Informação Europa Criativa, vertente cultura.   

Para além das iniciativas de divulgação das possibilidades de acesso a fundos europeus e de um novo modelo de workshop prático sobre elaboração de projetos e candidaturas, já testado na Batalha, durante o Festival Artes à Vila, a Fundação GDA continua a proporcionar aos artistas um serviço de consultas personalizadas sobre o acesso a verbas europeias para a cultura. Nessas consultas Francisco Cipriano aconselha os candidatos a financiamento a concorrerem aos programas que são mais adequados aos seus projetos. 

O podcast estará disponível no site da Fundação GDA a partir de 19 de setembro, nas redes sociais e nas plataformas de streaming.

A BoCA Summer School está de volta com condições especiais para cooperadores da GDA

A BoCA Summer School está de volta e conta, à semelhança de anos anteriores, com o apoio da Fundação GDA. Esta edição decorre entre 26 de agosto e 2 de outubro e é composta por cinco workshops de teatro, dança, performance, artes visuais e cinema, oferecendo condições especiais aos artistas cooperadores da GDA para a frequência das ações.

A BoCA Summer School está de volta para cinco workshops com artistas nacionais e internacionais, de diferentes territórios artísticos, a acontecer em vários espaços culturais da cidade de Lisboa (no MAAT, Centro Cultural de Belém, Teatro Nacional D. Maria II) e num espaço natural (a Floresta de Monsanto). Tal como em edições anteriores, esta edição conta com o apoio da Fundação GDA.

Este ano, a programação contempla um workshop de música e arte sonora pelo artista transdisciplinar Jonathan Uliel Saldanha; um workshop de performance e artes visuais por uma das mais prestigiadas artistas andaluzas, Pilar Albarracín; um workshop de dança e performance com Mariana Tengner, Gustavo Ciríaco e Pedro Ramos; um workshop de teatro com o coletivo espanhol El Conde de Torrefiel; e outro de performance e artes visuais com a emblemática artista francesa ORLAN. A programação pode ser consultada abaixo.

Para mais informações e inscrições, consulte o site oficial da BoCA Bienal.

 

1. JONATHAN ULIEL SALDANHA (Portugal)

Área: Música e arte sonora

Datas: 26 – 27 agosto / Centro Cultural de Belém

2. PILAR ALBARRACÍN (Espanha)

Área: Performance e artes visuais

Datas: 9 – 10 setembro / MAAT

3. MARIANA TENGNER BARROS, GUSTAVO CIRÍACO e PEDRO RAMOS (Portugal)

Área: Dança e performance

Datas: 17 e 18 setembro / Parque Florestal de Monsanto

4. EL CONDE DE TORREFIEL (Espanha)

Área: Teatro

Datas: 19 – 22 setembro / Teatro Nacional D. Maria II

5. ORLAN (França)

Área: Performance

Datas: 30 setembro, 1 e 2 outubro / MAAT

Ação: Talk com ORLAN

Data: 30 setembro, 19h / MAAT, entrada livre

30 projetos apoiados através do Concurso de Apoio a Curtas-Metragens 2022 da Fundação GDA

A Fundação GDA atribuiu um total de 200.000,00 € (duzentos mil euros) no âmbito da edição de 2022 do Concurso de Apoio a Curtas-metragens, tendo selecionado para apoio 30 projetos num total de 84 candidaturas admitidas.

Este programa tem como principal propósito estimular a contratação de artistas intérpretes profissionais para produções de curtas-metragens de ficção nacional, tendo em vista promover e profissionalizar o trabalho realizado por atores que participam nestas obras, favorecendo a divulgação e desenvolvimento da sua carreira profissional e artística.

No total foram atribuídos apoios correspondentes a um montante global de 200.000,00 € (duzentos mil euros), destinando-se um montante máximo de 7.500,00€ por candidatura. Os apoios concedidos no âmbito deste concurso são atribuídos a título de comparticipação nas despesas ou encargos diretamente relacionados com a participação dos artistas intérpretes nos projetos cinematográficos apresentados.

O júri externo, composto por Luís Salvado, Manuel José Damásio e Marta Fernandes, avaliou 84 candidaturas admitidas, deliberando a atribuição de apoio a 30 projetos.

Lista de projetos apoiados

Paulo Otavio Bezerra Leite

Daniel Soares

Hugo Alexandre Gonçalves da Silva Quintino Magro

Alice Blanco Nascimento

José Augusto Costa Mira Silva

NEWTALKS

Pedro Guilherme Gomes Durão Ramalhete

Nuno Alexandre Costa Baltazar

Maria & Mayer

Promenade

Pedro Rosa Vieira Caldas

André Filipe da Silva de Campos Santos

Pedro Manuel Nobre da Silva Carneiro

Madalena Azevedo Cordeiro Norton Brandão

Take it Easy, LDA

Real Ficção

DIAGONAL BLA, LDA

Filipe Manuel Almeida Penajoia Silva

Francisco Botelho

Helder Filipe da Cunha Faria

Francisca Manuel Simões Paula

Justin Joseph Casimiro Amorim

Virgílio Eduardo de Oliveira Pinto

Tiago Manuel de Melo Bento

Carolina Costa Neves

Rita Mesquita Barbosa

BAM BAM CINEMA, CRL

Omaja

Rui Manuel Sá Ferreira Macedo

João Carreiro Associação Cultural

 

Lista de projetos suplentes

Gonçalo Correia Lopes de Almeida

Henrique Diogo de Sousa Brazão Albuquerque Barroso

Margarida Paias dos Santos Silva

Gonçalo Alexandre Coelho Pina

Tiago Loureiro Siopa

Artistas cooperadores da GDA usufruem de descontos na Faniak, plataforma para a gestão de carreiras musicais

Até ao dia 31 de julho de 2022, artistas de música cooperadores da GDA podem subscrever gratuitamente os serviços da plataforma Faniak, com validade até ao dia 31 de julho de 2023. Para quem que se inscreva após 31 de julho de 2022, poderá usufruir de um desconto de 20%, também com validade até 31 de julho de 2023.

A Faniak, uma plataforma online de prestação de serviços dirigida a artistas de música, disponibiliza várias ferramentas que facilitam tarefas associadas à gestão da carreira musical, tais como a gestão de datas de concertos, escolha das salas mais adequadas, a criação de respostas personalizadas aos fãs, difusão dos conteúdos através das redes sociais e pré-preenchimento dos dados para a declaração de repertório junto da GDA.

Iniciativa da empresa Faniak, esta trata-se da primeira plataforma de inteligência artificial portuguesa a disponibilizar este tipo de serviços. Combina o armazenamento do tipo Google Drive ou Dropbox com um sistema de “pastas inteligentes”, oferecendo a artistas e profissionais de música uma gestão de carreira simples e eficaz, capaz de diminuir o tempo alocado às tarefas administrativas relacionadas com a música em cerca de 60%.

O sistema de “pastas inteligentes” é capaz de recolher toda a informação pública de artistas disponível na internet, organizando-a automaticamente com toda a metainformação. No contexto da música, a metainformação é toda a informação que permite aos motores de busca, como a Google ou a Alexa, sugerir corretamente uma canção, ou aos autores e músicos envolvidos serem identificados e pagos pelas suas criações.

O protocolo agora celebrado com a Fundação GDA pretende oferecer pacotes com benefícios a artistas de música cooperadores da GDA. O principal objetivo dos criadores desta nova ferramenta é que artistas desta área possam poupar recursos de que necessitam para o trabalho criativo”.

Por norma, a inscrição de artistas na plataforma está sujeita a uma subscrição mensal no valor de 9,99€ ou 19,99€, consoante o tipo de utilização pretendido, com um desconto de 20% na opção de pagamento anual.

Com este protocolo, a Faniak oferece descontos para artistas de música cooperadores da GDA, nas seguintes condições:

  • de 100% a quem se inscreva até ao dia 31 de julho de 2022;
  • de 20% a quem se inscreva após 31 de julho de 2022.

Se é artista de música e tem interesse em saber como beneficiar desse desconto, contacte a sua gestora de repertório na GDA.

A plataforma dispõe, ainda, de uma “extensão” que associa o perfil do artista na Faniak à sua conta no Portal GDA, que facilita o pré-preenchimento da declaração de repertório na GDA.

É de salientar que, para receber direitos relativos a uma obra, é obrigatória a declaração de repertório no Portal da GDA. Isto é, a inscrição na Faniak não dispensa a declaração da obra no Portal da GDA. Desta forma, a Faniak não interfere na relação do artista com a GDA, nem esta interfere na relação da Faniak com os artistas que subscreverem o serviço

Para mais informação, consulte o site da Faniak.

Resultados do Concurso de Apoio à Edição Fonográfica de Intérprete são conhecidos na próxima semana

Devido ao elevado número de candidaturas, o anúncio dos resultados do concurso de Apoio à Edição Fonográfica de Intérprete de 2022 está previsto para o dia 8 de julho.

Este concurso, cuja fase de candidaturas decorreu entre 4 e 29 de abril deste ano, visa apoiar projetos de edição fonográfica de intérprete, atribuindo apoios destinados a suportar os custos relacionados com a gravação e produção de novas obras fonográficas.

Através do Concurso de Apoio à Edição Fonográfica de Intérprete, a Fundação GDA pretende dinamizar o mercado editorial da música portuguesa, a diversidade das expressões musicais e o acesso e usufruto dos cidadãos à criatividade musical.

Devido ao elevado número de candidaturas, o anúncio dos resultados do concurso de Apoio à Edição Fonográfica de Intérprete de 2022 está previsto para o dia 8 de julho.

Teatro O Bando: Curso Intensivo para Atores conta com o apoio da Fundação GDA

Entre os dias 28 de junho e 24 de julho, o Teatro O Bando irá promover um curso intensivo para atores, em regime de residência artística. Esta iniciativa conta com o apoio da Fundação GDA.

“Consciência do Ator em Cena” é uma formação teatral que o Teatro O Bando desenvolve desde 2015, com o intuito de materializar a vontade de partilhar experiências, confrontar conhecimentos e possibilitar reflexões práticas e teóricas sobre um léxico teatral.

A Fundação GDA apoia a edição deste ano proporcionando aos artistas intérpretes participantes uma redução na sua inscrição.

Para os participantes, esta formação representa uma oportunidade única de imersão na linguagem e pensamento singulares que tem vindo a ser maturado por João Brites, fundador e diretor artístico da companhia.

O projeto formativo é da responsabilidade de João Brites, João Neca, Juliana Pinho, Suzana Branco e Rita Brito e terá como artistas formadores convidados: Jorge Salgueiro, compositor musical, Rui Francisco, cenógrafo, arquiteto e Sara Belo, atriz, professora de voz.

Para mais informações sobre a formação, consulte a página oficial ou contacte diretamente a responsável pela formação no Teatro O Bando: