Resultados da 2.ª fase do Concurso de Apoio à Edição Fonográfica de Intérprete 2017

A Fundação GDA tem o prazer de anunciar os resultados da 2.ª fase do concurso de Apoio à Edição Fonográfica de Intérprete 2017.

Através deste programa, a Fundação GDA apoia os artistas na edição dos seus discos, contribuindo para promover a fixação de repertório musical e a valorização das obras gravadas sobre as quais assentam os direitos conexos de utilização.

Nesta 2.ª fase, o júri externo – composto por Inês Meneses, Vítor Belanciano e Vasco Azevedo – atribuiu um montante total de €60.000 a 16 projetos, entre 118 candidaturas apresentadas a concurso.

Os apoios são atribuídos a:

  • Processo n.º 649 – Miguel Luis Inocencio de Sousa
  • Processo n.º 666 – Luís António Coelho Fernandes
  • Processo n.º 672 – Miguel Jorge Ferreirinha Cardoso da Rocha
  • Processo n.º 731 – Vítor Joaquim de Sousa Pereira
  • Processo n.º 779 – Carolino António Silva Neves Carreira
  • Processo n.º 792 – Bruno José dos Reis Soares
  • Processo n.º 799 – Diogo Miguel Gomes Vida Da Conceição
  • Processo n.º 837 – Duarte José Pereira Martins
  • Processo n.º 670 – Cristina Isabel Leonor Duarte Branco
  • Processo n.º 679 – Hugo Manuel Antunes de Assunção
  • Processo n.º 686 – Paulo Ricardo Mota dos Santos Correia Nunes
  • Processo n.º 726 – Eduardo Santos Silva Rocha Gonçalves
  • Processo n.º 734 – Raquel Sofia Laranjeira Ralha
  • Processo n.º 739 – Madalena Manzoni Palmeirim
  • Processo n.º 770 – João Pedro Ferreira Silva
  • Processo n.º 810 – Miguel Angel Bernat Martinez

Os projetos apoiados vêm da zona Norte (33% – Braga, Porto e Vila Nova de Gaia), da zona Centro (7% – Coimbra), da zona da Grande Lisboa (33% – Loures, Seixal e Setúbal), de Lisboa (27%) e de fora de Portugal (7% – Amesterdão, Holanda).

Em termos de género musical, entre os projetos apoiados 6 são de Música Clássica, 1 de fado, 1 de Jazz, 3 de Pop/Rock, 1 de Hip Hop, 1 de Músicas do Mundo e 3 reúnem vários géneros musicais no mesmo trabalho.

Resultados da 2.ª fase do concurso de Apoio à Circulação de Espetáculos 2017

A Fundação GDA tem o prazer de anunciar os resultados da 2.ª fase do concurso de Apoio à Circulação de Espetáculos 2017. Através da 2.ª fase deste programa de apoio, a Fundação GDA apoia a apresentação pública de 25 projetos de música, teatro, dança e cruzamentos disciplinares em Portugal e no estrangeiro com um montante total de €64.916,00.

Dos projetos apoiados, 28% são provenientes da zona Norte, 24% da zona Centro, 12% da Grande Lisboa, 24% de Lisboa e 12% da zona Sul. Para a apreciação das 44 candidaturas admitidas a concurso foram constituídos dois júris externos: para as áreas do teatro, dança e cruzamentos disciplinares composto por Ana Pais, Daniel Tércio e João Carneiro, e para a área da Música composto por João Paulo Esteves da Silva, João Paulo Feliciano e Rui Torrinha.

[expand title=”Projetos apoiados na área da Música” swaptitle=”Fechar “]

  • Processo nr.º 748 – Pedro Loureiro Fazenda
  • Processo nr.º 751 – Melissa Oliveira de Sousa
  • Processo nr.º 765 – John Philip Gonçalves
  • Processo nr.º 772 – Paulo Alexandre Freitas Matos
  • Processo nr.º 795 – Pedro Alexandre Rodrigues Carvalho
  • Processo nr.º 825 – Nuno Mendes Moreira Aroso
  • Processo nr.º 831 – Ana Patrícia Dias Martins
  • Processo nr.º 871 – Maria João Fura Carraça
  • Processo nr.º 883 – Pedro Nuno Henriques Leitão Franco Zina
  • Processo nr.º 889 – Ao Sul do Mundo CRL
  • Processo nr.º 893 – Rui Daniel Pinto Gaspar
  • Processo nr.º 905 – BBBP Associação BB Blues Portugal
  • Processo nr.º 911 – O Corvo e a Raposa

Entre os projetos apoiados, 4 são da zona Norte (Barcelos, Braga, Porto e Viana do Castelo), 3 da zona Centro (Alcobaça, Caldas da Rainha e Leiria), 2 da Grande Lisboa (Oeiras e Moita), 3 de Lisboa e 1 da zona Sul (Vila do Bispo). São contempladas 4 candidaturas em digressão nacional e 9 em digressão internacional. [/expand]

[expand title=”Projetos apoiados na área do Teatro” swaptitle=”Fechar “]

  • Processo nr.º 853 – Faísca Teatro(Resto de Nada Ass. Cultural)
  • Processo nr.º 857 – Companhia Mascarenhas-Martins Associação Cultura
  • Processo nr.º 860 – Rita Pinto de Morais
  • Processo nr.º 878 – Mariana Portugal Andrade Alves Dias
  • Processo nr.º 879 – Ritual de Domingo Associação Artística
  • Processo nr.º 881 – Ana Margarida Mendonça Ribeiro
  • Processo nr.º 902 – João Pedro Correia dos Santos [/expand]

[expand title=”Projetos apoiados nas áreas da Dança e Cruzamentos Disciplinares” swaptitle=”Fechar “]

  • Processo nr.º 852 – Maurícia Barreira Neves
  • Processo nr.º 909 – Carlos Manuel Carvalho Santos Oliveira
  • Processo nr.º 848 – Fábio Alberto Silva Lopes
  • Processo nr.º 898 – Ana Luena Fernandes de Sousa
  • Processo nr.º 910 – John Jesus Romão

Destes, 3 são provenientes da zona Norte (Braga e Porto), 3 da zona Centro (Abrantes, Santarém e Viseu), 1 da Grande Lisboa (Montijo), 3 de Lisboa e 2 da zona Sul (Évora e Portimão). São contempladas 8 candidaturas em digressão nacional e 4 em digressão internacional. [/expand]

© Imagem do projeto de teatro Cidades Invisíveis e L-O-V-E da Companhia Má Criação, apoiados no âmbito do Concurso de Apoio à Circulação de Espetáculos 2016.

Évora é a próxima paragem do Rastreio Nacional da Voz artística

O Rastreio Nacional da Voz Artística vai ter na cidade de Évora a sua próxima etapa. Este rastreio resulta de uma iniciativa da Fundação GDA em parceria com o Ministério da Saúde e o Centro Hospitalar Lisboa Ocidental, cuja Unidade de Voz do Hospital Egas Moniz se tem distinguido como o principal ponto do Serviço Nacional de Saúde onde são prestados cuidados de saúde diferenciados na área da voz a artistas portugueses.

Este rastreio – dirigido à comunidade artística do distrito mas aberto a toda a população – terá lugar em Évora, na Unidade de Saúde Familiar SOL (Rua Ferragial do Poço Novo, 22), na próxima quinta-feira dia 23 de novembro entre as 9:00 e as 18:00. No dia seguinte, sexta-feira 24 de novembro, o rastreio será feito na Unidade de Saúde Familiar Eborae, localizada no edifício do Hospital do Patrocínio (com entrada pela Rua Celestino David), também entre as 9:00 e as 18:00.
A população poderá inscrever-se em ambos os centros de Saúde e os artistas poderão fazê-lo também na GDA. Quem passar por lá e tiver vaga, será atendido.

“Este rastreio nacional é uma forma de chamar a atenção dos cantores e dos atores portugueses para os cuidados regulares que devem ter com o seu aparelho vocal: a exigência permanente a que a voz profissional está sujeita desenvolve algumas patologias que, se não forem detetadas cedo e corrigidas, comprometem a prazo a qualidade do desempenho artístico”, afirma Clara Capucho, a cirurgiã otorrinolaringologista responsável pelo rastreio da GDA. “Para além de cantores e atores, é crucial para a saúde vocal dos portugueses que todas as pessoas, regularmente, façam um exame às suas cordas vocais. É isso que permite fazer o diagnóstico precoce de várias doenças, entre as quais o cancro da laringe”, afirma Clara Capucho. “Há muitos profissionais da voz como professores, jornalistas, advogados, políticos ou padres, entre muitos outros, que têm todo o interesse em verificar a saúde do seu aparelho vocal”.

“A Fundação GDA tem sido uma das organizações que, em Portugal, mais consistentemente tem promovido uma cultura de saúde da voz”, afirma por seu turno Luís Sampaio, vice-presidente da GDA – Gestão dos Direitos dos Artistas, que acompanha o rastreio. “Para além das estruturas de prevenção e diagnóstico precoce que temos dinamizado, a GDA tem tido igualmente um papel importante no apoio e acompanhamento de casos críticos graves de alguns artistas”.

Este Rastreio Nacional da Voz Artística – anunciado a 16 de abril, Dia Mundial da Voz, no Teatro Nacional D. Maria II – será feito pelo menos uma vez por ano em todos os distritos e regiões autónomas, assegurando desta forma a possibilidade de se fazer o diagnóstico precoce de várias doenças típicas dos profissionais da voz. Serão muitas centenas de exames em cidades e regiões onde, até à data, os artistas lá residentes não tinham acesso a eles. Antes de Faro, o rastreio já passou por centros de saúde dos distritos de Vila Real, Bragança e Faro.

Prémio Atores de Cinema da Fundação GDA celebra X edição com nova categoria “Jovem Talento”

A cerimónia de apresentação dos premiados da X edição do Prémio Atores de Cinema da Fundação GDA – Gestão dos Direitos dos Artistas terá lugar no Teatro da Trindade, em Lisboa, no dia 5 de dezembro, às 21:30. Para além dos prémios Melhor Ator/Atriz e Melhor Ator/Atriz Secundário(a), atribuídos desde 2008, esta edição de 2017 contará com uma nova categoria: o prémio Jovem Talento, destinado a distinguir o desempenho de jovens atores nos seus primeiros passos no mundo do cinema.

Os prémios da Fundação GDA distinguem-se por serem atribuídos a atores por outros atores. Todos os anos a fundação seleciona um júri de atores que avalia longas-metragens de ficção, com produção portuguesa, que estrearam em sala no ano anterior. Durante nove anos, os júris atribuíram troféus aos que consideraram terem tido os melhores desempenhos nos papéis principal e secundário: este ano o júri constituído pelos atores Maria João Luís, Miguel Seabra e Fernando Luís irá também escolher qual foi para eles o jovem talento com melhor interpretação que os filmes de 2016 revelaram.

Esta nova categoria reforça a principal vocação do Prémio Atores de Cinema: destacar e promover o trabalho dos atores portugueses, reforçar a sua notoriedade e facilitar a aproximação ao universo do cinema, designadamente com os realizadores e produtores. É essa a razão pela qual, no dia 5 de dezembro, na manhã e na tarde que antecedem a cerimónia de anúncio dos premiados deste ano, teremos umas jornadas de trabalho destinadas à informação e ao debate sobre matérias relevantes para o desenvolvimento e proteção da sua atividade profissional e, também, para promover essa aproximação aos produtores e realizadores de cinema e à troca de experiências entre eles.

As Jornadas de Trabalho começam às 10h00 no Teatro da Trindade com uma sessão sobre “Direitos de Autor e Direitos Conexos” que conta com Eduardo Simões, diretor da GDA, e Lucas Serra, jurista especializado na legislação que regula e protege o trabalho artístico. Segue-se o painel “Caminhos Cruzados – Projetos, Apoios e Oportunidades para Artistas” em que a Fundação GDA apresentará os principais projetos e apoios que estão em curso sob sua direta responsabilidade e alguns em que se encontra envolvida com outras instituições, como é o caso de parcerias com a Academia Portuguesa de Cinema, no âmbito do Projeto Passaporte (que traz a Lisboa diretores de casting para conhecerem atores portugueses), ou com o Instituto do Cinema e do Audiovisual, no âmbito do PIC Portugal (programa de atração de produções relevantes para o nosso território). Tanto a Academia como o ICA terão oradores seus nesta sessão.

Da parte da tarde as jornadas começarão com os “Encontros com a Experiência”, uma série de mesas redondas em que jovens atores previamente inscritos conversarão com as atrizes Beatriz Batarda e Dalila Carmo, e o ator Adriano Luz sobre a forma como, em Portugal, se podem desenvolver carreiras no cinema. A última sessão será um debate moderado por Miguel Valverde, diretor e programador do festival de cinema independente IndieLisboa e consultor da Fundação GDA para esta iniciativa, uma conversa focada na aproximação entre atores e realizadores de cinema em Portugal: intervêm a atriz Maria João Luís e os realizadores João Canijo e Carlos Conceição.

Às 21h30 terá início, então, a cerimónia de entrega dos troféus do Prémio Atores de Cinema 2017. que será apresentada pela atriz Margarida Vila Nova. Serão nessa altura anunciados os premiados desta X edição. Ao troféu Melhor Ator/Atriz corresponde um prémio pecuniário de €3.000 euros (três mil euros), ao de Melhor Ator/Atriz Secundário(a) um prémio de €2.000 euros (dois mil euros) e ao Jovem Talento um prémio de 1.000€ (mil euros). A cerimónia encerrará com a passagem de uma curta-metragem cuja produção foi apoiada pelo programa com que a Fundação GDA financia, todos os anos, várias curtas-metragens. Será uma das apoiadas em 2016 que irá fechar este dia inteiramente dedicado ao cinema.

Para mais informações, clique aqui.

Curtas-metragens

Programa de apoio à produção de curtas-metragens de ficção nacionais, tendo em vista promover e profissionalizar o trabalho realizado por artistas intérpretes nestas obras, favorecendo a divulgação e desenvolvimento da sua carreira profissional.