9 agosto 2017

Workshops da BoCA Summer School com condições especiais para os artistas cooperadores da GDA.

A Fundação GDA, parceira da BoCA Summer School, proporciona aos artistas cooperadores da GDA, a oportunidade de consolidarem a sua formação artística, com personalidades de relevo nos territórios artísticos que se movimentam, por valores reduzidos.

Nesta 1.ª edição do BoCA Summer School, um projeto anual de educação artística, os artistas cooperadores têm ao dispor os seguintes workshops:


THIERRY DE MEY – “Ferramentas de composição musical”

30 ago a 02 set, no CAM - Fundação Calouste Gulbenkian

O compositor e realizador de cinema belga, cúmplice dos coreógrafos Anne Teresa De Keersmaeker ou Wim Vandekeybus, dirige um workshop de composição musical aberto a compositores, músicos, intérpretes e criadores de artes performativas.

Neste workshop, Thierry De Mey explora a utilização de elementos estruturais como dispositivos ativos entre diferentes medias, tais como a música, a dança e o cinema: operadores potentes de comunicação que respeitam especificidades ao mesmo tempo que colocam à disposição dos participantes um conjunto alargado de materiais de composição, com a possibilidade de focarem-se em temas específicos.

Preço normal: €120
Preço especial para Artistas Cooperadores da GDA: €40 (até 10 Cooperadores Artistas da GDA)
Total de participantes: 15


ANGÉLICA LIDDELL – "A eloquência da ferida ou a tragédia da liberdade: a transgressão"

06 a 10 set, no TNDMII – Teatro Nacional D. Maria II

Destinado a intérpretes do sexo masculino entre os 20 e os 35 anos com ou sem experiência em artes performativas, este workshop parte de biografias de assassinos históricos, como a condessa Isabel Báthory, para pensar o papel do artista e da representação.

No palco e em cada uma de suas propostas artísticas, Angélica Liddell, um dos maiores nomes do teatro europeu, é ao mesmo tempo autora, encenadora, cenógrafa e atriz. Declina as palavras da dor, entre confissões íntimas e poderosas imprecações, afirmando que “tudo passa pelo corpo para alcançar o espírito”. E nada parece impedir que ele mergulhe profundamente no inexplicável e no inexprimível. Tudo o que se esconde nas zonas mais sombrias do ser humano, nas zonas mais perigosas de atravessar, constitui para Angélica Liddell a base para revelar uma beleza que pode salvar. Totalmente investida no cerimonial que inventa em palco, Angélica Liddell surpreende recusando-se a “fingir com a verdade” e organizando meticulosamente o caos.

A tragédia da liberdade é podermos escolher entre o bem e o mal. A civilização é repressora desde que nasce. A transgressão é um ato trágico porque viola a lei da vida opondo-se à vida calculada e à razão. As primeiras proibições aplicam-se sobre o corpo por ser o corpo a residência do sexo e da existência, porque o corpo pode foder e pode dormir. O criminoso e o artista são irmãos, à exceção de que o artista viola a lei da vida mediante um ato poético que nasce da mesma ferida profunda que atormenta o criminoso. Por isso, o ato transgressor é ordem pura que nasce do caos. Arte e vida. Matar-se ou matar. A arte não é moral, não é puritana, a arte consiste em não censurar os instintos nem os desejos, mas transforma-los em algo belo. Revoltar-se contra a lei do estado mediante a lei da beleza.

Preço normal: €200
Preço especial para Artistas Cooperadores da GDA: €80 (até 7 Cooperadores Artistas da GDA)
Total de participantes: 12


ERIC MINH CUONG CASTAING – "O corpo ao sabor da tecnologia"

07 a 09 set, no MAAT - Museu de Arte Arquitetura e Tecnologia

Questionando as ligações entre as novas tecnologias e o movimento do corpo, este é um workshop destinado a jovens entre 16 e 24 anos, com a utilização de drones e óculos specs no território coreográfico.

O trabalho do coreógrafo francês Eric Minh Cuong Castaing gira em torno da problemática das novas tecnologias que induzem novas estruturas de percepção na nossa vida quotidiana. Este é um workshop sobre tecnologias, óculos specs e drones no território coreográfico. Eric Minh Cuong Castaing questiona as ligações entre as tecnologias e o movimento do corpo quando a percepção é modificada pela máquina, ou mesmo quando o corpo se torna um só. As questões colocadas serão de diferentes tipos: como nos movemos? Como dançamos? Como sentimos a presença do outro no espaço físico? E, por último, como é que os nossos corpos sensíveis percebem a máquina?

Preço normal: €100
Preço especial para Artistas Cooperadores da GDA: 40 (até 7 Cooperadores Artistas da GDA)
Total de participantes: 12


Para informações detalhadas sobre o conteúdo dos workshops e inscrições deverá consultar BoCA Summer School.

Se for Artista Cooperador da GDA, para poder usufruir das condições especiais de inscrição, deverá indicar no momento da candidatura o seu número de membro cooperador da GDA.

Palavras-Chave

Partilhar