9 agosto 2017

Rastreio da voz “muito inovador” levou artistas à USF Farol

Artistas, jornalistas, profissionais de saúde e muitas pessoas interessadas em monitorizar a saúde da sua voz estão desde terça-feira a passar pelo centro de saúde Farol, em Faro. É mais uma etapa do Rastreio Nacional da Voz Artística, desta vez no Algarve. “Estamos a prestar um serviço, não só aos artistas, mas também à comunidade”, afirmou Luís Sampaio, vice-presidente da GDA.

Viviane, Nuno Guerreiro e o ator Pedro Lima foram alguns dos artistas mais conhecidos que fizeram esta terça e quarta-feira o rastreio da sua voz na Unidade de Saúde Familiar (USF) Farol, em Faro. Foi mais uma etapa do Rastreio Nacional da Voz Artística, uma iniciativa da GDA – Gestão dos Direitos dos Artistas (a entidade que em Portugal gere os direitos de propriedade intelectual de músicos, atores e bailarinos) em parceria com o Ministério da Saúde e a Unidade de Voz do Hospital Egas Moniz.

“É um rastreio muito inovador dirigido aos artistas, e, como é aberto a toda a população, responde também a um conjunto de problemas que são sentidos pelos médicos de família”, afirmou Paulo Morgado, presidente da Administração Regional de Saúde (ARS) do Algarve. “A GDA cobra e distribui os direitos de propriedade intelectual dos artistas. Por essa razão tem os meios para, através da Fundação GDA, assumir missões sociais como este rastreio nacional da voz artística”, disse por seu turno Luís Sampaio, vice-presidente da GDA. “O rastreio é uma oportunidade duplamente feliz e que muito nos orgulha, pois permite-nos prestar um serviço de saúde aos nossos artistas e, simultaneamente, fazê-lo também à comunidade”.

Este rastreio – dirigido à comunidade artística mas aberto a toda a população – está a ter lugar desde terça-feira na Unidade de Saúde Familiar Farol. Termina quarta-feira, pelas 18h00. “Este rastreio significa que temos de dar atenção à nossa voz e à forma como a usamos. Este centro de saúde associa-se com muito gosto a esta iniciativa que pretende prevenir e detetar as doenças da voz”, afirmou Helena Boavida, a médica coordenadora da USF Farol.

“Este rastreio nacional é uma forma de chamar a atenção dos cantores e dos atores portugueses para os cuidados regulares que devem ter com o seu aparelho vocal”, disse Clara Capucho, a cirurgiã otorrinolaringologista responsável pelo rastreio da GDA. “Para além de cantores e atores, é crucial para a saúde vocal dos portugueses que todas as pessoas, regularmente, façam um exame às suas cordas vocais. É isso que permite fazer o diagnóstico precoce de várias doenças, entre as quais o cancro da laringe”, afirmou.

Nuno Guerreiro, vocalista da Ala dos Namorados, contou que Clara Capucho é sua médica há vários anos. “O acompanhamento que ela faz é muito importante para nós, artistas, -- e tem-me ajudado em diversas situações”, afirmou o cantor. “Este rastreio é muito importante e aconselho todos os artistas que utilizam a voz a fazê-lo”.

Viviane também sublinhou a importância dos artistas monitorizarem com regularidade a sua voz, por forma a corrigir atempadamente algum problema que possa surgir. “Este rastreio é muito importante porque nos permite fazer esse acompanhamento. E, mais ainda, porque o possibilita junto do local onde vivemos, sem termos que nos deslocar a Lisboa”, disse a cantora. “Devia acontecer todos os anos!”, conclui Viviane.

Este Rastreio Nacional da Voz Artística – anunciado a 16 de abril, Dia Mundial da Voz, no Teatro Nacional D. Maria II – será feito pelo menos uma vez por ano em todos os distritos e regiões autónomas, assegurando desta forma a possibilidade de se fazer o diagnóstico precoce de várias doenças típicas dos profissionais da voz. Serão muitas centenas de exames em cidades e regiões onde, até à data, os artistas lá residentes não tinham acesso a eles. Antes de Faro, o rastreio já passou pelo Hospital Egas Moniz, em Lisboa, e por centros de saúde dos distritos de Vila Real, Bragança, Évora e Portalegre.

Palavras-Chave

Partilhar