25 jun

Fundos Europeus para as Artes e a Cultura: Sessão promovida pela Fundação GDA com lotação esgotada

A lotação para a primeira edição do projeto #makethemost (Fundos Europeus para as Artes e a Cultura), que decorre no próximo dia 2 de julho, esgotou poucos dias após o anúncio público da sua realização. Entretanto, já há uma lista de espera de 80 interessados para a segunda edição desta iniciativa, promovida pela Fundação GDA, para aproximar a comunidade artística portuguesa dos fundos europeus.

O interesse da comunidade artística pela iniciativa #makethemost (Fundos Europeus para as Artes e a Cultura) foi surpreendente. A lotação da sala onde se realizará a primeira sessão esgotou, poucos dias após o anúncio público do evento. A lista de espera ascende aos 80 interessados.

A estreia do projeto #makethemost, promovido pela Fundação GDA, decorre já no próximo dia 2 de julho, entre as 18 e a 21 horas, no Polo Cultural das Gaivotas, em Lisboa (Rua das Gaivotas, n.º 8). O objetivo deste encontro é dotar os artistas dos instrumentos que lhes permitem tirar o máximo proveito dos Fundos Europeus para as Artes e a Cultura.

A ideia subjacente é a de mitigar as dificuldades, criadas pela dispersão de informação por múltiplas plataformas, opacidade da linguagem ou as dúvidas técnicas e de carácter burocrático, que impedem o aproveitamento eficaz de oportunidades de financiamento.

Com esta iniciativa, a Fundação GDA pretende motivar os artistas a recorrerem a esses fundos, e, transmitindo-lhes conhecimento, incrementar a sua capacidade de detetar oportunidades de financiamento para os seus projetos.

O #makethemost assenta na realização de sessões informais, que decorrerão em espaços culturais privilegiados, com o objetivo de fomentar o diálogo e a troca de experiências, facilitando o acesso à informação sobre os financiamentos comunitários. Tudo isso enquadrado num ambiente informal e agradável de tertúlia ao final da tarde.

“Uma das nossas ambições com estas iniciativas é a de incentivar a internacionalização e o desenvolvimento de projetos que reflitam o enorme talento dos artistas portugueses”, afirma Mário Carneiro, diretor-geral da fundação GDA.

“Falar-se-á também de bons e maus exemplos, de projetos bem-sucedidos e enormes falhanços. Tudo excelentes exemplos de aprendizagem, por isso, será privilegiada a apresentação de casos concretos, convidando para isso os seus protagonistas”, explica Francisco Cipriano, o mentor da iniciativa e consultor da Fundação GDA para a área dos fundos europeus.

Ainda em 2018, realizar-se-ão mais duas sessões do projeto em Lisboa (setembro e novembro), devendo a iniciativa alargar-se, em 2019, a outras regiões do País.

Na sessão inaugural, que terá lugar, a 2 de julho, no Polo Cultural das Gaivotas, os apresentar-se-ão os casos concretos do Westway LAB Festival e Procurarte, numa conversa solta com os responsáveis desses projetos em torno das respetivas experiências de internacionalização.

Para o desenvolvimento desta iniciativa, que conta com o apoio da Câmara Municipal de Lisboa e do Polo Cultural das Gaivotas, a Fundação GDA criou uma parceria com a Mapa das Ideias e a Reserva, que garantem a produção dos eventos.

A moderação das sessões estará a cargo de Francisco Cipriano, cuja vida profissional está ligada aos instrumentos de apoio a políticas públicas, sobretudo no âmbito do desenvolvimento regional e da política de coesão, bem como de Joaquim Jorge, um dos fundadores de A Reserva e especialista na gestão de projetos Europeus.

Entre os artistas e produtores culturais que se inscreveram estão representadas organizações como o Teatro Nacional Dona Maria II, a Companhia Instável ou a EIRA, entre outras.

Com esta iniciativa, a Fundação GDA volta a assumir um papel de catalisador, mediador e facilitador dos elementos que proporcionem uma maior fluidez na informação sobre programas comunitários dos quais os artistas possam beneficiar.

Recorde-se, que a Fundação GDA organizou, ao longo dos últimos dois anos, várias ações sobre fundos europeus, tendo em vista a necessidade de estimular os mecanismos e a criação de metodologia que contribuam para aprofundar a capacidade de relacionamento do setor artístico com este universo.

Uma das suas iniciativas de maior visibilidade pública concretizou-se em 2016, com realização do Seminário sobre Fundos Europeus para Artistas, realizado em Lisboa e no Porto, no qual participaram perto de 500 artistas. Sinalizou-se, dessa forma publicamente expressiva, a intenção de destacar como missão prioritária a necessidade de divulgar e de informar.

Em 2017 o esforço da Fundação GDA centrou-se sobretudo na disponibilização de material e informação de referência através do seu site, incluindo a possibilidade de marcação de sessões de acompanhamento individual aos artistas, num formato de coaching personalizado.

Palavras-Chave

Partilhar