Catálogo das Edições Fonográficas

Amélia Muge

Biografia

Autora. Compositora. Cantora. Instrumentista. Também formadora (Comunicação e Ensino).Também ligada à Animação Sócio-Cultural e à Formação para o Desenvolvimento (Projectos a nível local). Ligada às artes visuais, ao teatro e ao multi-média.

Do nascimento e vivência em Moçambique vem-lhe o ser e o estar ligado a outros sabores, outros sons, outras culturas. Também o estudo e escuta da música, o começar a compor desde muito nova, a formação em História, a participação em projectos de desenvolvimento local e de comunicação e ensino, o leccionamento de 6 anos na Universidade Eduardo Mondlane.

Em Portugal, frequenta outras formações ligadas ao design, desenho e audio-visual (AR.CO) e o Curso de Cinema de Animação da Fundação Gulbenkian. Continua a trabalhar em projectos de desenvolvimento local, nomeadamente na serra Algarvia e colabora com outras áreas artísticas como o teatro e a dança.

Múgica (1991) inicia a edição contínua de trabalhos discográficos que obtêm vários prémios regulares ligados às listas dos melhores discos do ano. Colabora com outros cantores nacionais (ex. José M. Branco e Fausto) e estrangeiros (ex. Amancio Prada, Camerata Meiga, Ester Formosa (Espanha), Elena Ledda, Lucillia Galeazi (Itália), Pirin Folk Ensemble (Bulgária). Edita Todos os Dias(1994) incluído nos 100 melhores discos da música portuguesa pelo Jornal Público e Taco a Taco(1996) com o qual ganha o prémio Zeca Afonso, prémio que repete, partilhado com José Mário Branco e João Afonso pelo CD: Maio Maduro Maio (1997). Edita A Monte (2000), Não Sou Daqui (2007) e Uma Autora, 202 Canções (2010) enquanto vai tendo uma actividade regular de concertos por vários festivais de cariz cultural, ex. Tranches D'Europe Express (Rouen); Les Tombées de la Nuit (Rennes); 7 Nuits d'Enssence (Aigues Mortes); Festival Folk (Madrid); Itinerari Folk(Itália); Cité de la Musique (Paris); Encontros de Música Clássica e Contemporânea (Córsega) e Encontros Lusófonos (Praga). Para lá da composição, para si e outros cantores (Mísia, Camané, Mafalda Arnaut, Gaiteiros de Lisboa, Ana Moura, Cristina Branco, Pedro Moutinho), assina a co-produção artística de álbuns (Esta Voz que me atravessa de Mafalda Arnauth) e a direcção artística e adaptação para português de música de séries estrangeiras de desenhos animados para televisão. Edita O dono do Nada (2006) música de uma peça de sua autoria para a infância, em cena nos teatros Olga Cadaval e Maria Matos. Cria e co-dirige no âmbito de Guimarães 2012 Capital Europeia da Cultura o grupo vocal “Outra Voz”.

Em colaboração com Michales Loukovikas edita O Ouro do Céu, Ares Alexandrou por Michales Loukovikas (2011) e Periplus, Deambulações Luso-Gregas (2012), (entre os melhores do ano para: Jornal Expresso e S.P. Autores, Mundofonias, Espanha - Dez melhores álbuns internacionais- e seleccionado para os dez melhores álbuns internacionais pela revista fRoots). Colabora no CD para crianças Ruelles (França),distinguido pela Academia Charles Cros (2013). Edita o CD-Livro Amélia com versos de Amália (2014). Concebe e dirige projectos como Joining Mitchel (Misty Fest, 2013) e De Viva Voz , o profundo canto a capella (Misty fest, 2016). Por convite da Culturgest estreia com Filipe Raposo o concerto Com o Passo das Árvores (1917) e edita, de novo em parceria com Michales Loukovikas, o CD-Livro digital Archipelagos-Passagens (2017), com apresentação no teatro S. Luis em Novembro deste ano. O trabalho será colocado nas lojas no início de 2018.